blog

terça-feira, novembro 11, 2014

Boa atitude


O povo costuma dizer que desculpas não se pedem, evitam-se. José Nuno Martins esteve muito mal nas considerações que fez sobre Bruno de Carvalho (e ao que parece ao Rogério Alves e ao Diamantino). Infelizmente situações destas ocorrem com demasiada frequência. O que não é habitual é alguém se retratar e pedir desculpas. E ainda mais raro é ser desta forma, com estas palavras carregadas de humildade no reconhecer do erro cometido.

"Na semana passada fui muito incorreto, mesmo grosseiro. Não é meu hábito usar linguagem imprópria. Envergonhei-me do que disse e hoje tenho de pedir desculpa às pessoas que magoei, de modo involuntário", comentou José Nuno Martins no programa Benfica 10 Horas, da BTV.

"Magoei três pessoas. O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho e o seu ilustre sócio Rogério Alves, que não são pessoas das minhas relações nem havia motivo para qualquer ofensa sobre elas, e Diamantino Miranda, meu amigo há anos, acerca de quem usei linguagem que não é própria, e deixo-lhe um abraço sentido", continuou.

Para concluir, o diretor do jornal das águias fez uma comparação com os adeptos que usam petardos nas bancadas da Luz: "Não posso criticar quem usa petardos para depois usar expressões incorretas e tão simbolicamente explosivas como um petardo. Espero não voltar a repetir. Essa não é a maneira de defender o Benfica".

Gostei.

6 comentários:

Benfiquista no Norte disse...

Este senhor, João David Nunes, Jaime Fernandes, João Gobern e Viriato Teles, são alguns dos radialistas e comunicadores que ao longo dos anos aprendi a admirar e a respeitar, pelo que escreveram, disseram e apresentaram na área da música.

Estranhei a atitude cavalar que este teve contra os sportinguistas referidos, pelo que fiquei contente com a retratação subsequente.

À Benfica.

luis disse...

Alguma decência, nunca é em demasia.

Defender o Benfica passa por respeitar os adversários. JNM não é propriamente um blogger que escreve uns posts.

JNF disse...

É recorrente. Há uns dias foi Leonor Pinhão, Carlos Manuel, tudo corrido a insulto. Nas AGs do clube é o que se sabe. Tenho pena que JNM se tenha tornado num arruaceiro.

Anónimo disse...

Só porque emitiu a sua/dele opinião sobre alguns hipocritazinhos cá do burgo e teve a ombridade de se retratar, e mesmo assim é arruaceiro?
O que ele não teria para dizer sobre certos marsupiais que andam constantemente a conspirar arvorados em "benfiquistas bons "...

Catedrático da Picheleira

Gritinhos da Sharapova disse...

Bem, já que se fala de benfiquistas da socialite portuguesa, venho aqui referenciar o livro recentemente publicado de autoria do António-Pedro Vasconcelos, chamado "O futuro da ficção".

Lê-se rápido, mas tem uma profundidade sublime, já que faz uma reflexão profunda sobre a evolução dos cânones da cultura europeia ao longo dos séculos, da pintura à escrita e à música, perspetivando a crise de valores da sociedade atual, como se fosse uma nova idade média...

É editado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, ou seja o Feira Nova...

Até para mim que só leio a "Lui" e "os tintins", é um livro interessante...

Gato do Conde de Vimioso disse...

Ontem ao serão vi na BTV parte da entrevista ao Maestro Vitorino de Almeida; Gostei, é um benfiquista a sério.

Contou a história de quando passeava num parque em Viena com o Carlos do Carmo e encontraram um velho sentado num banco de jardim - Guttman! Reconheceram-no, falaram com ele e este, a chorar, contou-lhes como supostamente foi maltratado no SLB. Vitorino até contou que pediu a LFV que colocasse uma estátua no estádio para quebrar a malapata.

Entretanto, larguei uma bufa e o conde tirou-me do colo. Não sei como terminou a entrevista...