blog

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

Gestão de esforço

Após uma terça feira bem sossegada, como se deseja após um derby, é tempo de olhar para os próximos desafios que assumem enorme importância quando formos analisar o saldo final desta época.

Basicamente queremos vencer todas as competições em que estamos a jogar e para isso os próximos jogos serão decisivos como a segunda mão da Liga Europa amanhã em Estugarda, mais uma jornada da Liga Zon Sagres no domingo contra o Marítimo, logo a seguir, na quarta feira a meia final da Taça da Liga com o Sporting na Luz para acabar com a deslocação a Braga novamente para a Liga nacional. São 4 jogos muito importantes que obrigarão a equipa a concentração máxima e atitude exemplar para levar de vencidos os adversários. Infelizmente os nossos bravos são humanos, não têm nenhuma poção mágica que leva a queda de cabelo como alguns outros e, por isso, nota-se o cansaço em alguns jogadores pelo que Jorge Jesus terá que estudar bem as mexidas na equipa para que defrontemos os adversários sempre na máxima força e com a melhor táctica. Um dos jogadores que me parece mais esgotado é Sálvio pelo que é importante resguardarmos o jogador para que ele não rebente de vez visto que é peça fundamental na equipa pelo que o treinador de bancada que há em mim colocaria o argentino no banco amanhã na Alemanha. O problema desta mexida é que não temos Amorim para o substituir por isso a minha opção seria polémica: Luis Filipe. Menezes podia ser opção mas penso que Luis Filipe consegue dar mais à equipa aquilo que ela precisa naquela posição do que Menezes. Outra opção seria Martins mas não temos tido muito rendimento com ele e Aimar em campo ao mesmo tempo. Se fosse necessário, Sálvio entraria para a meia hora final fresco e com a sua velocidade poderá causar mossa numa defesa alemã já desgastada. Outra opção minha seria a titularidade de Jara por troca com Cardozo. Gostava de ver Saviola e Jara juntos formando uma dupla atacante super móvel e bastante mais rápida do que com Cardozo que é mais posicional procurando assim rentabilizar os espaços que a equipa alemã abrirá ao procurar atacar para dar a volta à eliminatória. Ficaríamos assim com Cardozo fresco para o jogo com o Marítimo. Com Airton e Aimar no meio campo apenas teríamos um Gaitan em esforço mas que parece aguentar bem os 60 minutos de cada jogo a ritmo forte. Coentrão parece ter pilhas inesgotáveis mas gostava muito de lhe conseguir dar um descanso pelo que não seria nada mau marcar uns golitos para o podermos tirar cedo do jogo.

Para o Marítimo regressa Javi Garcia e teremos ou Aimar ou Martins "frescos" com Sálvio e Cardozo de novo operacionais podendo então poupar um pouco Gaitan utilizando, talvez, Peixoto ou Fernandez. Sidnei descansará obrigatoriamente nesta jornada pelo que, não ocorrendo nada de excepcional, estaríamos na máxima força contra o Sporting e com três dias de descanso para o embate em Braga também me parece possível irmos à pedreira em boas condições físicas.

O que acham?

22 comentários:

Ricardo disse...

Acho que começa a chegar o tempo de definir prioridades. Neste momento, todas são prioritárias, visto que, se por um lado, as hipóteses de revalidação do título são escassas, por outro é a dinâmica que vimos revelando no campeonato que permite à equipa a motivação para continuar a saga vitoriosa. É difícil, uma escolha. Para Estugarda faria mudanças pontuais, apenas com o intuito de darmos mais segurança ao meio-campo, uma vez que temos a eliminatória do nosso lado: do onze de Alvalade, retiraria Martins e poria no seu lugar Airton. Saviola, como no Dragão, ocuparia mais os espaços do médio ofensivo em organização defensiva e chegar-se-ia a espaços mais ofensivos sempre que a equipa recuperasse a bola. Acho importante irmos mais compactos para Estugarda. Outra opção seria a de retirar Gaitán e colocar Airton ou, caso esteja em condições (acho que não), Peixoto. O argentino continua a revelar deficiências a nível defensivo e nestes jogos convém que toda a equipa esteja colectivamente forte e não ter elementos que por vezes se desligam do jogo. Por outro lado, ofensivamente Gaitán é uma mais-valia tremenda e um garante de capacidade de desequilíbrios na defesa parca de rins que os alemães têm. Não é fácil escolher, espero que o Jesus, que tem estado muito bem nesse particular, saiba o que fazer para cada jogo.

Mas a ideia é esta: adaptar a equipa às características de cada jogo e ponderar o descanso de alguns jogadores. Curiosamente, o dérbi serviu para fazer gestão de esforço. Aimar não jogou, Sidnei e Saviola só jogaram uma parte e o Cardozo descansou aos 70 minutos. Quem me parece que poderia ter algum descanso é o Salvio, o Coentrão e o Maxi. Mas antes há que garantir a passagem aos oitavos.

Deixo em Jesus, que sabe mais disto do que nós todos juntos. E acredito que amanhã matamos o borrego.

Pedro disse...

"do onze de Alvalade, retiraria Martins e poria no seu lugar Airton"

Não te esqueças que Javi não joga por ter levado amarelo. O Airton irá (em princípio) substituir o espanhol.

Ricardo disse...

Sim, tens razão, tinha-me esquecido. Falta-nos o tal médio que não fomos buscar (especialmente depois de sabermos que o Amorim não podia jogar mais esta época).

Se o Peixoto estiver disponível, Peixoto por Martins. Se não estiver, ou mantemos o mesmo 11 (com a única alteração forçada do Airton pelo Javi) ou procuramos uma solução alternativa que equilibre mais o meio-campo: Luís Filipe na lateral, sobe o Maxi para o meio-campo (que é a posição de origem dele) e o Salvio para a outra ala, saindo Gaitán para entrar na segunda parte.

Foi um erro não termos assegurado um médio mais posicional para os meses que restam. Era evidente que íamos precisar dele e aí está o problema. Agora é apelar à qualidade dos jogadores e à capacidade de superação. Borrego é para matar e esfolar amanhã!

John Billy #32 disse...

Amanhã tem que jogar o melhor onze possível! A gestão só pode ser feita contra o Marítimo.
É claro que com o castigo ao Javi e com as lesões do Peixoto e do Amorim, estamos com poucas soluções para o meio campo defensivo. Foi estranho não se ter colmatado esta lacuna no mercado de inverno.

Se fosse o Jesus, arriscaria numa táctica de três centrais, para libertar o Coentrão e o Maxi em auxílio ao Airton.

Anónimo disse...

Ricardo a eliminatória está do nosso lado, mas se não nos metemos a pau e começarmos com brincadeiras bye bye. além do nosso trauma a jogar na alemanha basta-lhes fazer 1-0 para passarem.

Ricardo disse...

Anónimo, precisamente por não podermos começar com "brincadeiras" é que acho perigoso entrarmos em campo com a equipa-tipo. Se, do ponto de vista ofensivo, é capaz de muito e numa noite inspirada marcar 3 ou 4 golos seja onde for, no cumprimento das funções defensivas (especialmente na reacção nas transições) é um 11 que nos deixa algo vulneráveis. Principalmente por Gaitán, que por vezes se alheia do jogo e deixa o lateral sozinho frente a dois ou três adversários e também pelo Salvio, que me parece não estar capaz de aguentar 90 minutos em alta rotação. Com um ala displicente no momento defensivo e outro claramente cansado, apenas com um médio defensivo no miolo, corremos o risco de sofrer transições rápidas e, consequentemente, golos.

Acho que o meio-campo devia estar mais povoado. Mas, lá está: não contratámos ninguém. Com Amorim lesionado, Javi impedido, Peixoto condicionado, além de Airton não há ninguém. Há o Martins, que não assegura decentemente o equilíbrio no meio-campo e pode haver o Maxi, mas nesse caso teríamos de meter o Luís Filipe a lateral, que não é coisa que agrade muito...

PB disse...

Luis Filipe? Preferia um junior qq. Até o Weldon ou o KArdec lá

Helder disse...

Seja o que Jesus quiser......

DeVante disse...

O Kardec nunca!

É a equipa-tipo e não se fala mais nisso!

Devo confessar que já gostei mais do Airton...

É para ganhar!!!

André Leal disse...

John:

Até vejo lógica na tua ideia, sem treino, não me parece viável. Imagina que o JJ jogava com 3 centrais e éramos eliminados... O Bizarro voltava-o a pôr numa panela a ferver :P

Compreendo o que dizem o Pedro e o Ricardo, mas eu, que aqui disse depois do descalabro do Dragão que o Benfica iria ganhar os jogos todos e que assim seria campeão, vejo agora que os corruptos passivos (árbitros) não vão deixar os corruptos activos perder 9 pontos. 9 pontos que já teriam perdido em situações normais. Assim, a Liga Europa surge como o mais realista grande objectivo do Glorioso, pelo que poupanças não são benvindas.

Concordo também com o Ricardo e Hélder, confiando ao JJ a decisão. Ficarei fulo caso ele faça poupanças, caso a gente perca mas, como também já aqui disse, nunca vou pedir que ele saia.

João Bizarro disse...

André, basta que não invente. Se a equipa tem estado a jogar tão bem pq é que se vai inventar.
Os resultados das invenções de JJ são visiveis: Liverpol, dragao pra liga, Hapoel, Lyon, Shalke.

Mesmo a 1ª parte com o Estugarda com 2 Benfica em campo (5 a atacar, 5 a defender) foi uma vergonha.

Ricardo disse...

Bizarro, ele no Dragão, para a Taça, também "inventou" e teve resultados. A premissa de que "inventar" (ou seja, mudar pontualmente um ou outro jogador) em equipa ganhadora é um erro parec-me um misto absurdo. Os jogos e os adversários são diferentes, as situações são diferentes e é nesse sentido que pode ser certeiro, em função do adversário, do jogo e da situação, mudar-se uma ou outra peça. No Dragão, teve resultados a "invenção". Amanhã, tendo nós a vantagem na eliminatória, não me parece muito lógico entrarmos a jogar de forma desenfreada sem que tenhamos outras preocupações defensivas. E mudar uma peça, colocando alguém na ajuda ao Airton não é mudar drasticamente o modelo de jogo. O modelo é até o mesmo, o sistema é que muda. O Benfica não deixará de ser incisivo em termos ofensivos por colocar mais um jogador no miolo. Pelo contrário, com jogadores capazes de pressionar a todo o campo, estaremos mais próximos de marcar do que se jogarmos com jogadores que, de um momento para o outro, se desleixam no pressing colectivo e no acompanhamento dos adversários.

O problema está nas opções. Se houvesse Amorim, retiraria Gaitán ou Aimar e colocaria o português. Se houvesse Peixoto, também. Não havendo nem um nem outro, e tendo Javi suspenso, ou se arrisca com a equipa-tipo ou procura-se uma alternativa arriscada por nunca ter sido testada - como a inclusão do Maxi no meio-campo e a entra do Luís Filipe. Entre as duas, prefiro a equipa-tipo.

John Billy #32 disse...

Acabei de ver o Porto-Sevilha e ficou esta pérola do comentador de serviço:
"nona vitória na Liga Europa do Porto batendo os registos do Mourinho e do Jesus".

André, que conste que se o Sálvio e do Gaitan estiverem em boas condições físicas, prefiro que o Benfica jogue no seu esquema habitual. Também gosto pouco de invenções.
Só utilizaria um esquema de três centrais, para dar mais força ao meio campo com as entradas do Maxi e do Coentrão, exigindo assim menos trabalho defensivo ao Sálvio e ao Gaitan.
É claro que é uma aposta arriscada mas não é nova de todo. Muitas vezes em certos momentos do jogo o Javi faz de terceiro central e os laterais ocupam posições muito mais adiantadas.

John Wakefield disse...

1- A propósito das prioridades do Benfica:

Eu acho que as maiores prioridades do Benfica deveriam passar pela taça de Portugal e taça da Liga porque são competiçoes, onde o favoritismo neste momento está mais do nosso lado e por isso, mais do que nunca, não podemos desperdiçar estes 2 títulos. Sim, se os conquistarmos, a época será salva.

A Liga Europa é uma outra competição que devemos levar a sério e também temos que concentrar aí os nossos esforços e esperanças. A sua conquista é um sonho muito dificil de concretizar mas não impossível. O Atlético de Madrid e o Fulham jogavam menos do que o Benfica deste e do último ano, e disputaram, no fim, o título. Porque? Porque puderam gerir o seu esforço, aproveitando um dos piores liverpools de sempre e um Benfica super-fatigado. O Atletico e o Fulham na etapa final, já tinham o lugar a meio da tabela mais do que definido, sem hipóteses de melhorar ou piorar muito a sua situação classificativa.


No Campeonato, custa-me a acreditar que cheguemos lá. É verdade que o Porto até pode acusar cansaço por causa dos jogos intensos com o Sevilha e depois com o CSKA de Moscovo (fora os que ainda se seguirão), mas com os árbitros portugueses da actualidade, sinceramente não temos hipóteses. E ainda temos que ter em conta, a suspensão inevitável do Jorge Jesus ou a deslocação infernal a Braga que promete ser mais dificil do que ir a Alvalade.


2- Em relação ao jogo de amanha (que será transmitido na SIC para o caso de alguém não saber ainda), o Benfica não pode entrar "timidamente", isto é, com medo e procurando o zero a zero. O Estugarda é uma equipa que, mesmo estando mal, faz um número considerável de golos embora sofra muitos mais. O Benfica amanha para passar tem que marcar. Não estou a pedir que o Benfica entre todo ao ataque, não, mas também não quero ver o meu clube parado e jogar a um ritmo lento como foi na primeira parte em casa com o Estugarda. Volto a referir, o Estugarda merece respeito, mas não é a mesma equipa que foi campeã com estes jogadores - Hildebrand, Soldo, MEIRA, BORDON, Pavel Pardo, KHEDIRA, CACAU (ainda lá está, mas já está um pouco acabado), MARIO GOMEZ... sei que, nesses tempos, chegaram também a ter KURANY, HLEB e LAHM.
Isto sim, era uma equipa temível, agora são uma boa equipa, mas nada doutro mundo.


Saudações Benfiquistas

Mentiroso disse...

Roberto
Maxi
Luisão
Sidnei
Coentrão
Airton
Carlos Martins
Aimar
Felipe Menezes
Saviola
Cardozo

Reservávamos os argentinos Sálvio, Jara e Gaitán para primeiras opções. Se for necessário defender temos o Jardel.

Luís Filipe? Nem por sombras. Jesus atravessa um período de grande lucidez o que me leva a acreditar no prolongamento deste ciclo vitorioso.

bailarino disse...

Wakefield, se ganharmos as 2 taças internas a época está salva? Estamos com uma ambição um pouco baixinha, não?
Para mim, época em que não sejamos campeões vale perto de zero. Só fica compensada se ganharmos uma prova europeia. Se acharmos que ganhar umas tacitas, ficar em 2º e fazer umas coisas giras na europa é positivo, estamos a seguir o caminho do sporting!
Sem o peixoto e o amorim não temos opções para fazer poupanças no meio campo defensivo nem nas laterais! O Peixoto é o suplente do Coentrão e do Gaitan, e o Amorim do Maxi e do Salvio (é um pouco ridiculo, mas é o plantel que temos). Ou seja, nesta fase vamos ter de apostar as fichas todas e esperar que a equipa aguente. nas restantes posições (GK, DC, MC e PL) podemos ir rodando consoante os jogos. Amanhã repetia o 11 de Alvalade menos o Javi e o Martins (Airton e Aimar).

Abraços e vamos lá à enesima vitoria consecutiva. Carrega benfica!

dezazucr disse...

O Benfica tem de se preocupar em ganhar os jogos todos até final o que será muito difícil, embora tentar não custe. Agora, em termos de gestão, a meu ver esta devería ser feita no campeonato. Mas a questão da gestão não se põe agora, mas sim no mês de Abril. Neste momento os jogadores ainda estão fortes. Sem falar que Javi descansará, Aimar descansou terça. A descansar alguém sería o Gaitan e colocaría o Peixoto, apesar de achar que estava lesionado. De qualquer forma o Gaitan e o Salvio são putos novos, 22, 23 anos, pelo que recuperam mais facilmente que os outros.

Julgo que o objectivo principal do Benfica TEM de ser a UEFA. No campeonato não deixarão os corruptos cair. Agora podemos tentar fazer uma grande série vitoriosa. E não podemos perder até defrontarmos os corruptos, e, aí TEMOS de ganhá-los. Jogamos em casa, não podemos sequer empatar, pois senão lá virá o linguarudo.

O Benfica deve-nos a alegria da UEFA desde o ano passado. Esta equipa está a jogar muito bem, no entanto só entram para a história as equipas que têm troféus para mostrar e esta por enquanto ainda não tem. É bom que Jesus coloque isso na cabeça. Quero que daqui a 10 anos se lembrem desta equipa como aquela equipa fantástica que ganhou a UEFA!

John Wakefield disse...

bailarino, realisticamente ganhar neste momento o campeonato, é quase impossivel pelas peripécias que todos conhecemos. Não nos vão deixar aproximar do primeiro lugar. Praticamente não tivemos hipóteses de lutar por esta competição. Por isso, quase que me atrevo a dizer, que neste ano, foi sempre uma competição perdida. O segundo lugar era praticamente o máximo que poderiamos alcançar, de forma a pelo menos, ambicionarmos a Champions na próxima época.

Compreendo que diga que a taça da liga seja uma tacita mas daqui a 20 ou 30 anos terá já tradição, valor e reputação.
A taça de Portugal, por sua vez, é a segunda competição mais importante em Portugal e como já não a ganhamos alguns anos, seria fantástico voltar a ganhá-la. Se ganharmos as duas, somamos o mesmo número de títulos da época passada, mesmo sendo super-prejudicados nesta temporada. Por isso, eu consideraria o saldo como minimamente positivo (embora compreenda a sua posição - eu também prefiriria ganhar o campeonato ou uma competição europeia...)

Quanto à Liga Europa, eu também sonho com a sua conquista mas reconheço que será muito dificil. Vamos a ver, mas creio que temos condições para chegar pelo menos aos quartos de final. Depois logo se verá.

Ginha disse...

"A Liga anunciou a troca de árbitro assistente para o Benfica-Marítimo. Paulo Vieira (AF Viana) foi substituído por Tomás Santos (AF Braga), por impedimento regulamentar relacionado com critérios de designação. Alexandre Freitas (AF Porto) será o outro assistente. O jogo, agendado para as 18h00 de domi...ngo, será arbitrado por Vasco Santos, da AF Porto."

Pedro disse...

Ginha, o que se pode dizer quando isso já não espanta ninguém???

marley disse...

De facto é demasiado para todos os nossos estômagos!São uma pouca vergonha estas nomeações.
Acabei de ouvir na Benfica TV que o Saviola não joga hoje nem sequer está no banco. É preciso ter muito azar. O Jara vai substitui-lo e só temos de pedir que o menino Jara seja feliz.
Viva o Benfica

John Billy #32 disse...

Foda-se!
Os calções vermelhos!!
Já estou apreensivo :(((