blog

sexta-feira, fevereiro 06, 2015

Detesto Derbys


Sim, eu sei que a maioria gosta destes jogos, de ganhar ao velho rival, das picardias, etc. Eu detesto ter que jogar com eles. Detesto ver o Manto Sagrado no mesmo campo que aquelas tendas de praia, detesto a batotice dos gajos, o choradinho irritante. Ganhar a eles não só é bom como é normal, claro que sim, não tem discussão, mas o custo de não vencer é muito superior ao benefício de ganhar. Se ganharmos são apenas três pontos e uma semana de tranquilidade. Um empate ou derrota representa uma semana insuportável e épocas de azucrinação mesmo que estejam à beira da falência e despromoção.

Quando é na Luz, estou no meio da minha família, a coisa é mais fácil de suportar. Em Alvalade é um pesadelo. Ter que ouvir aquele speaker, ver aquelas bancadas, ouvir aqueles cânticos nos breves momentos em que não são abafados pelos nossos bravos. É insuportável.

Ainda bem que o Setúbal será o nosso adversário nas meias finais da Taça da Liga...apre!!!

Como em qualquer jogo do Enorme, é para vencer. Conquistar os 3 pontos e regressar à Luz tranquilos na liderança rumo ao 34º.

4 comentários:

marley disse...

Como eu estou de acordo!
Também sinto o mesmo sem tirar nem pôr!

José Ramalhete disse...

Jesus já disse que o jogo não é decisivo...

Anónimo disse...

e nao é, de facto, decisivo. ou melhor - par ao benfica o pior que pode dar e perder algum avanço. para o porting, se perder, é decisivo...

Anónimo disse...

Pedro, como eu te compreendo. Assino por baixo todo o teu post. Gostava de descobrir uma "vitamina" qualquer que me deixasse tão calmo a ver os dérbis como estou a ver outro jogo qualquer :)Estamos um bocado (muito) desfalcados em relação à época passada, é verdade - e para mais com duas baixas importantes de jogadores fundamentais este ano. O adversário está forte e muito motivado. Por isso vai ser preciso lutar bastante, jogar como equipa, com união, e esperar que o treinador seja inteligente no onze que vai lançar e nas substituições que tiver de fazer.

Abraço,
J.