blog

sábado, fevereiro 28, 2009

SL Benfica - Leixões:2-1

Justíssima é a palavra que melhor define a vitória do Glorioso esta noite.

Finalmente conseguimos vencer a difícil equipa do Leixões e um jogo apitado pelo lagartão Lucílio Baptista. Mas não escapamos ao habitual sofrimento de fim do jogo desta vez resultante de mazelas físicas que resolveram atacar forte e feio os nossos jogadores. Mas prevaleceu o espírito de união da equipa e os três pontos ficaram na Luz.

Quique Flores finalmente acedeu aos pedidos dos benfiquistas e colocou Ruben Amorim e Katsouranis como dupla de meio campo e, com naturalidade, tudo funcionou muito bem com o português e o grego a dominarem por completo todas as acções no meio do terreno, quer a defender quer a atacar a bola era apenas e só do Benfica. Toda a equipa esteve muitíssimo bem na primeira parte. Uma belíssima exibição com Di Maria e Reyes muito activos nas alas e com Aimar a pautar o jogo e a mostrar que, em condições físicas boas é, de longe, o melhor jogador em Portugal. Cardozo na frente completava o leque de peças atacantes que Quique pôs em jogo sendo Miguel Vítor no centro da defesa a única novidade na retaguarda da equipa. E como já disse, o Benfica entrou mesmo muito bem em jogo e foi com naturalidade que chegou ao golo num rápido lançamento lateral de David Luiz que mete a bola na velocidade de Reyes que assiste Cardozo para um golo fácil que não aconteceu por puro egoísmo de um defesa do Leixões que quis tirar o protagonismo a Tacuara. Tá mal. E desta vez o Benfica não cedeu espaço e continuou em cima dos rapazes de Matosinhos que pouco mais eram que inofensivos para Moreira.

E do nada acontece a lesão de Ruben Amorim que estava a jogar muito bem. É de uma cruel injustiça um jogador que finalmente está na sua posição natural, a jogar muito bem, ter que sair por lesão. Entra Carlos Martins e temos a paródia da noite com um imediato amarelo ao jogador do Benfica.

Na segunda parte o Benfica quebrou um pouco mas conseguia manter o Leixões controlado e longe da nossa baliza. Mas Di Maria e Reyes iam desaparecendo aos poucos obrigando Quique a mexer na equipa colocando Nuno Gomes pelo espanhol. Pouco depois nova infelicidade e Balboa tem oportunidade de entrar para o lugar de um lesionado Di Maria. Num belo rasgo individual de Cardozo, o paraguaio assiste Nuno Gomes para o segundo golo do Glorioso e, pensaram todos, a tranquilidade da vitória. Nada mais errado. Este ano não temos direito a um jogo tranquilo na Luz. Com as substituições esgotadas Carlos Martins lesiona-se e o Benfica passa a jogar com 10 jogadores em campo mas isso não significou jogar em inferioridade numérica porque ao sair Carlos Martins entraram em jogo mais de 31.000 almas benfiquistas que juntamente com os 10 bravos em campo lutaram com todas as forças para levar de vencida uma fantástica equipa do Leixões que merece estar no lugar que está. A vitória é um prémio merecido para todos.

O Lagarto Lucílio é um animal, um asco de árbitro. Mete nojo. Colocar um apito num qualquer Eduardo Barroso ou Dias Ferreira seria igual a uma arbitragem de um jogo do Benfica do Lagarto Lucílio. O cartão amarelo ao Carlos Martins é uma aberração que devia dar prisão. É inaceitável, é uma vergonha e, infelizmente, não é caso único. E só acontece ao Benfica. Alguns anos atrás aconteceu a Tiago que após ordem do 4º árbitro entra em campo e leva amarelo. É um ultraje. Se o quarto árbitro manda Carlos Martins entrar como é que aquele animal lhe mostra o amarelo sem consultar o colega? E o que dizer dos amarelos? Aimar é placado numa jogada de rápido contra ataque e nada, Di Maria leva uma entrada duríssima por trás e nada depois Miguel Vítor sopra nas costas de um jogador do Leixões e foi logo amarelo. Lagarto Lucílio e basta. É verdade que 3 minutos de descontos é pouco mas 2 minutos na primeira parte também me pareceu exagerado...se é por aí que José Mota quer pegar estou curioso para ver como se comportará na próxima jornada.

Não percebi o motivo de tanta irritação do treinador do Leixões. O Benfica foi sempre superior, o Leixões só apertou quando Carlos Martins saíu e, mesmo assim, pouco perigo causou a Moreira. Marcou um golo numa jogada que nem sequer percebi bem como ocorreu e pouco mais fez para mudar o rumo do jogo. Se o Benfica tem mantido 11 jogadores de campo acredito que teria sido uma confortável vitória do Benfica como tinha vaticinado anteriormente.

Gostei da equipa toda, Luisão fez um fantástico 200º jogo pelo Glorioso, Di Maria esteve muito bem, Cardozo lutador, Amorim e Katsouranis quase 5 estrelas, Miguel Vítor eficaz, David Luiz recomposto, Maxi seguro mas Pablo Aimar merece o prémio de melhor em campo. Que soberba exibição, que garra, que categoria, que qualidade. Só pecou no lance em que hesitou entre rematar ou passar a Nuno Gomes que foi o suficiente para permitir a intervenção do defesa adversário. É um luxo ter um jogador desta categoria na nossa equipa, a camisola 10 do maestro está muito bem entregue a El Mago. Balboa entrou numa fase que podia ser boa para ele mas com a saída de Carlos Martins perdeu essa oportunidade. Sinto que falta-lhe raça no ataque à bola. Palavra final para Nuno Gomes que marcou um golo à ponta de lança, atacou a bola. Se fizesse sempre isso, se atacasse mais vezes a bola, marcaria muitos mais golos.

Vencemos como era exigido. Agora é desfrutarmos do que cair do jogo entre amigos. Vamos sempre lucrar.

Fomos enormes esta noite, jogadores e público. Assim é que deve ser sempre.

PS: Meia dúzia de lugares ao lado e duas ou três filas acima e vinha eu com as barras de ouro para casa...

15 comentários:

João Bizarro disse...

Esse mamarelo ao C. Martins é do tipo: "AH foste prós lampiões.... então toma lá!"

Bom jogo de equipa em determinados momentos e merecemos ganhar sem quaisquer dúvidas. A lesão do Martins e o golo a seguir deles foi o cumulo do azar. Vá lá que soubemos aguentar. Eles não fizeram NADA antes e depois do golo, apesar dos orgasmos dos gajos da rtp.
Depois do Benfica ter tido 2 oportunidades (sim coisa que o Leixões nunca teve) para marcar os gajos da rtp: "O Leixões está por cima há largos minutos e o empate pode surgir..."

3 pontos. É o que conta. E merecidos!

gloriosablogosfera.blogspot.com disse...

Excelente análise.

Feliz 105º aniversário ao Benfica e a todos os Benfiquistas.

Ser Benfiquista
É ter na alma a chama imensa
Que nos conquista
E leva à palma a luz intensa
Do sol que lá no céu
Risonho vem beijar
Com orgulho muito seu
As camisolas berrantes
Que nos campos a vibrar
São papoilas saltitantes

Ricardo disse...

Finalmente, viu-se futebol no Estádio da Luz! Não, não foi um futebol brilhante, longe disso, nem vimos jogadas de eleição a cada 5 minutos do jogo mas... houve menos passes errados, houve capacidade de pressão inteligente, houve bom posicionamento de quase todos os jogadores, houve vontade de ganhar o jogo desde o primeiro minuto e não só a partir do 46º. Só por isso, já fico (relativamente) satisfeito.

O Benfica tem de entrar assim em todos os jogos em casa. A receita é simples: procurar marcar golos o mais cedo possível! Era assim que o Benfica, quando era Benfica, provava que era Benfica. É assim que queremos ver o Benfica, que procura ser novamente Benfica, provar que ainda é Benfica. O resto é conversa. Para essa receita, uma dupla de médios inteligente (Quique, eh pá, foi preciso o Yebda lesionar-se para meteres esta ideia na cabeça? porra!), dois alas rápidos, um Aimar a coordenar todo o ataque e dono dos ritmos e um Cardozo confiante na frente.
Boa primeira meia-hora em que claramente o Benfica surpreendeu o Leixões. Podíamos ter marcado mais um, num excelente pontapé de bicicleta do Luisão e numa jogada rápida do Di Maria que o Cardozo, lento, desaproveitou. Nos últimos 10 minutos da segunda parte, o Leixões enquadrou-se com o Benfica, equilibrou o jogo e procurou fazer mais do que estar encostado atrás.
Na segunda parte, até à lesão do Martins, o Benfica controlou, como deve controlar sempre, o jogo e ainda marcou mais um golo, depois de boas oportunidades de Reyes e Cardozo. Estava tudo à espera de uma noite tranquila mas qual quÊ!?!, ainda estava para chegar o elemento que nos levaria para mais uns minutos finais dramáticos - desta vez não foi a tremideira dos jogadores, foi a tremideira dos tendões do Martins o culpado por a equipa recuar no terreno, sofrer um golo e ficar com oc redo na boca até ao fim.
Valeu o espírito lutador mas já chega de tanto sofrimento.

Individualmente, gostei de toda a defesa, menos de Maxi Pereira. O uruguaio voltou aos jogos de princípio de época: trapalhão, burro, péssimo a posicionar-se. Desta vez não teve repercussões no resultado mas fica o medo de voltar a ver Maxi com exibições patéticas no futuro. O momento não permite de maneira nenhuma tal coisa, ó pereira! Tu vê lá essa merda!

Gostei dos dois médios do meio-campo (Amorim pouco tempo mas bem, enquanto jogou), gostei do Di Maria, apesar de tudo (momentos de estupidez gritante) e do Reyes, apesar de tudo (tiques de vedeta, fraca disponibilidade para ajudar nos momentos defensivos). Gostei do Aimar - com ele, a bola é mais bola. Não tendo feito um grande jogo, jogou o suficiente para pensar o jogo do Benfica. E nisso resulta logo uma melhoria significativa na forma como a equipa decide e se chega a zonas mais próximas da baliza adversária.
De Cardozo, dizer que não esteve nos seus dias (aquela recepção na segunda parte, santo eusébio, é horrível); ainda assim, vingou-se com o centro para Nuno Gomes.

Nuno Gomes? Pois, chegou, marcou. Qualquer diz volto a meter números interessantes sobre os nossos médios e avançados.

Martins esteve bem. Mas preocupa-me esta onda de lesões. Amorim e Martins num jogo? Aimar a meio da semana? Sobre o seu futebol, bem quase sempre, a dar mais clarividência ao futebol do Benfica; mal, de vez em quando, com paragens cerebrais já típicas na sua cabeça confusa.

Balboa teve azar. Num jogo em que entrou para ganhar confiança nas zonas mais ofensivas, viu-se forçado a lutar com Maxi para fechar o corredor direito. Nem um nem outro o conseguiram com qualidade, mas fica o apontamento de ter lutado com tudo o que tinha. Merece mais uma oportunidade quando estivermos a ganhar por mais de 2.


O José Mota é um labrego dos maiores. Labregão, parolo, boçal. Quando um gajo vem dizer que o resultado é injsuto e que o árbitro favoreceu o Benfica, num jogo destes, a sério, está tudo dito sobre a espinha dorsal deste bronco.


Com esta vitória, amanhã vai ser sempre bom para nós. Tendo em conta o que Porto e Sporting apresentam em campo, diria que a vitória dos lagartos, embora pouco provável, seria o melhor para nós. Se o Porto continuar a jogar como jogou em Madrid, não temos hipóteses; se o fizer como tem jogado no campeonato, acredito que poderemos ser campeões.

E na próxima semana vão a Matosinhos. Está na altura de não falhar.

VIVA O BENFICA!

T disse...

Ricardo, pormenor importante é os 2 alas que jogaram, serem mesmo alas e estarem com atitude. Tal permitiu entrar no chamado 4-4-2 no posicionamento defensivo, mas assim que se tinha a posse de bola passar para 4-3-3 com um certo 10 a pegar no jogo.

Ruben Amorim estava a ser o melhor do jogo quando saiu.

Miguel Vitor fez um jogo estupendo.

T disse...

Ricardo, a lesão do AImar na 4ª feira nao foi nada de muscular. Foi um toque sofrido no joelho...

Quanto às de hoje, acredito que a do Ruben não tenha sido muito grave, mas vamos aguardar. Espera-se o melhor :)

Ricardo disse...

T,

Concordo completamente com o teu primeiro comentário. Em relação à questão de um 442 com alas reais e não adaptações, também concordo e é essa a equipa e a ideia que o Quique sempre procurou. O problema, a meu ver, é que esta equipa titular só tem condições de jogar assim na Luz. Ir fora com Reyes e Di Maria nas alas não me parece receita para o sucesso. Não que não seja possível o conceito mas porque os intérpretes (principalmente o argentino, mas também Reyes) não entendem a necessidade dos equilíbrios defensivos a dar à equipa.

Quanto ao segundo, espero que tenhas razão:)

Pedro disse...

Ricardo estás obrigado a comentar desta forma todo e qqr post sobre um jogo do Glorioso
hehe

Não concordo com a tua apreciação ao maxi. Houve um lance na primeira parte em q o Leixões cruza uma bola para a área q é Maxi q alivia com prontidão. Pensei logo em ti qd dizias q ele não fechava o seu lado na área...fechou e muito bem.

O Martins é burro....irra!!!!

Ricardo disse...

Pedro,

lembro-me perfeitamente desse lance. Fechou e muitíssimo bem, como, aliás, acho que tem melhorado significativamente nesse particular - esse pormenor de crescimento vem demonstrar que é um jogador capaz de entender as suas limitações e isso é uma virtude que lhe reconheço. No entanto, em vários outros lances esteve muito mal: fintas a jogadores em zonas perigogas, perdendo várias vezes a bola; maus cruzamentos (onde até costuma ser bom); incapaz de procurar espaços para tabelar com os médios ou com Di Maria, etc.

Martins é tudo menos burro, na minha opinião. O problema é que, de vez em quando, esquece que é um gajo com relativo talento para pensar que é um gajo com um talento imenso e infinito. Nessas alturas, acha que só faz sentido fazer um passe de 50 metros que só ele imaginou e que acaba pela linha de fundo, por exemplo. No jogo jogado, no passe e corta, no ganhar espaços, na qualidade de passe, na visão de jogo, é tudo menos burro.

John Billy disse...

Positivo foi ver que a nossa equipa conseguiu sofrer com inteligência.
Apesar de o Leixões ter caído para cima de nós nos ultimos 20 minutos quantas ocasiões de golo criaram? Zero. Marcaram um golo às três tabelas.
Esta vez os jogadores estiveram a altura. Não houve faltas estúpidas, cantos oferecidos ou cortes disparatados. Até houve a tal falta de fair play.
Para a semana vamos ter outro jogo de sofrimento com a Naval. Já estou a ficar habituado :)
Espero que jogue outra vez a mesma equipa.
Não vale a pena apostar num meio campo forte porque perdemos sempre no corpo a corpo. Parece sina do Benfica.
Mais vale apostar num onze ofensivo com uma frente bem alargada. Ao menos pomos o advesário em sentido.
Pedro, fizeste bem em realçar o público presente na Luz. O apoio na parte final foi excelente e contribuiram em parte para a vitória.

Pedro disse...

As decisões dele(Martins) são quase todas erradas...aquele pontapé de primeira para as bancadas é de uma imbecilidade atroz...tinha tempo para parar a bola e colocá-la jogável ao colega q estava a entrar pela ala sem ninguem pela frente...

Não é nenhum tosco com a bola nos pés, sabe tratá-la bem mas a nível de decisões...ui, medo!

Americano disse...

Positivo, sem ser brilhante, mas melhor que o normal.

Só me choca a simpatia do Ricardo perante o CM, foi de longe o pior em campo, quase que achei que a equipa jogou melhor depois dele sair. Não chega aos calcanhares de Ruben, por exemplo.
Falando em Ruben, era difícil perceber que é o médio certo para jogar com Kat? Eu não sou nenhum Quique, mas sugeri isso à meses...

Carlitos disse...

Parece que a nossa sina é jogar contra 14 e sofrer até ao fim :S.
Nota positiva a todos os nossos bravos jogadores, e o único ponto em que alguns falham é quando se esqueçem de jogar em equipa iniciando jogadas individuais e que normalmente são incosequentes.
Hoje consegui arranjar tempo para escrever qq coisa por aqui e aproveito para enviar uma grande saudação Benfiquista a todos os que por aqui comentam, referindo que quase diáriamente dou por aqui uma escapadela para me manter actualizado com o que por aqui se passa.
Um abraço a todos.
Carlitos

João Bizarro disse...

Empate em tons de vermelho!
A haver um vencedor tinham de ser os calimeros! Os outros em 90 minutos nem um remate fizeram à baliza!

Há... e ficamos a saber que agressões de cebolas não dão vermelho!

Pedro disse...

Impressionante a cotovelada do cebola ao Caneira mesmo debaixo do olhar do árbitro e mesmo assim ficou impune. E a reacção do Tarik, de seguida, tipicamente andrade, para cima do Tiago tb passou ao lado da devida sanção...impressionante...

Anónimo disse...

Mais quem foi que deixou o Sr. Quique Flores sair do Benfica. O maior problema do Benfica é a fraca presidênca, o Sr. Quique flores não tem culpa quando os seus avançados não conseguem marcar golos, o Sr. Quique Flores não tem culpa quando o Quim deixa uma bola entrar na sua propia barra prepositadamente. O Sr. quique Flores não tem culpa se os arbitos facilitam a vida ao porto. Olha para ser sincero eu não sei o qué que se passa alguns Benfiquistas parecem ser atrasados mentais.