blog

domingo, novembro 28, 2010

Beira Mar - SL Benfica: 1-3

Mais do que a vitória o que me agradou foi a atitude, a reacção ao resultado de quarta feira e à chuva de críticas, legítimas, que a equipa foi alvo nestes últimos dias.

Podíamos até nem ter ganho mas o que peço aos jogadores que envergam o Manto Sagrado é que joguem como hoje, é que se empenhem desta forma em todos os jogos porque isto é Benfica, isto é ser campeão. Massacrámos o adversário com uma pressão asfixiante que impedia-os de passar o meio campo e mantinha a nossa equipa sempre a cavalgar em direcção da área do Beira Mar e a criar oportunidades de golo. Apesar de estarmos a atacar muito a bola teimava não entrar e teve que ser num lance de penalty que nos colocámos, com todo o mérito, na frente do marcador e com Cardozo a regressar aos golos. Na segunda parte mantivemos o ritmo e foi com naturalidade que aumentámos a vantagem com Cardozo a bisar com um belíssimo golo e de seguida com um excelente trabalho a assistir Saviola para o terceiro golo e a garantir uma vitória por números condizentes com a exibição. Infelizmente num lance de azar sofremos um golo que chatei-a mas não apaga a boa atitude que a equipa teve durante todo o jogo. Não há segredos nem poções mágicas, é ter esta atitude em todos os jogos, é lutar pela bola e pela vitória como fizemos hoje, o resto vem por acréscimo.

Como esperado, o regresso de Amorim ao onze titular dá uma muito maior consistência ao meio campo permitindo que Javi tenha apoio e que Martins se solte mais, até Gaitan deu mais acutilância ao seu jogo porque havia apoio no meio campo. Faz toda a diferença Amorim. Cardozo regressa e faz, também, toda a diferença até para Saviola. Luisão com uma bela exibição suportando a exibição menos conseguida de David Luiz que atravessa um claro momento de má forma que me parece mais mental do que de física/técnica.

Bruno Paixão é um árbitro fraquinho e demonstrou isso quando não assinala logo cedo na partida um penalty claríssimo a favor do Glorioso por mão na bola para depois assinalar todas as situações idênticas fora da área. E o que dizer daquelas cenas de ordenar que se coloque a bola 10 cms atrás ou 10 cms ao lado na marcação de um livre...uma palhaçada.

Excelente a postura do nosso treinador na Flash Interview quando o palhaço do jornalista da TVI só fazia perguntas para arranjar polémica, estou para ver se alguma vez no Dragão responderá desta forma a um treinador do clube corrupo. Por mim este não entrava mais na Luz e sempre que fosse ele nas Flash ninguem do Glorioso lá ía.

Vencemos, consolidámos o segundo lugar e diminuímos distância para o primeiro. É-me difícil falar sobre isto depois do que ontem foi demonstrado em Alvalade tínhamos a obrigação de estar em cima dos corruptos. Mas já não há nada a fazer...excepto manter esta postura, esta raça e união demonstrada no relvado e lutar até ao fim por tudo aquilo que ainda se possa conquistar.

18 comentários:

Pedro Vagos disse...

Pedro, tendo estado no Estádio, posso dizer-te que apesar de tudo, a 1ª parte não foi assim tão boa! Jogámos a 10 à hora, não havia quem se mexesse para abrir uma linha de passe... andavam todos a passo! E a jogarmos apenas isto, quando apanharmos uma equipa melhor que o Beira Mar... não chega.

PS: Apesar de ter estado no Estádio... não paguei bilhete... logo, cumpri com o pedido da Direcção de não "alimentar" os outros clubes! LOL

M disse...

Cardozo pá....nao gostam? entao xau!!!

Pedro disse...

Pedro, não tenho essa opinião. Então os primeiros 25 minutos parecia o SLB do ano passado super pressionante e sempre em cima do adversário. Pode ter faltado algum acerto no último passe/decisão mas a atitude esteve lá. Desta vez a atitude este lá.

Mr. Shankly disse...

"Massacrámos o adversário com uma pressão asfixiante que impedia-os de passar o meio campo e mantinha a nossa equipa sempre a cavalgar em direcção da área do Beira Mar e a criar oportunidades de golo. "

Isto foi o que aconteceu em Israel. Ontem não jogámos tão bem mas ganhámos. Claro que o Cardozo faz toda a diferença. Corre pouco, é lento, não tem pé direito e joga mal de cabeça. Mas marca golos. Para mim está bom. É muito mais difícil de substituir que o David Luiz, por exemplo.

João Pedro disse...

Afinal a culpa não era do Jesus nem da direccção nem do David Luíz. O grande culpado da crise era a ausência do Cardozo.

Bienvenido Tacuara

bailarino disse...

E à 12ª jornada, o Benfica apresenta o 1º onze equilibrado da época. Custou mas foi! Ok, o Amorim tem estado lesionado, mas não há suplentes nem para ele nem para o Maxi (foi aí que falhou a planificação do plantel, não foi no gaitan nem no Jara nem no defesa esquerdo).
Se gostei muito da atitude e da pressão colocada em jogo, aquela defesa continua toda destrambelhada a começar pelo David Luis que anda a perder demasiados lances (alguem que lhe ponha a cabeça no sitio!).
Ainda há muito para ganhar esta época (lutar até ao fim pelo titulo, taças e liga europa) e espero que em Janeiro chegue alguem para reforçar o lado direito do meio campo e não para o ataque.

Abraços

Pedro disse...

Bailarino, o suplente do Maxi é o Amorim e vice versa...tivemos azar. Lembro-me de um ano em que tinhamos os 5 avançados todos no estaleiro e como tal não havia avançados disponíveis para os jogos. Não foi mau planeamento, foi azar.

Podíamos, e Jesus queria, ter ido buscar um médio direito e aí sim foi uma falha da pré época.

Pedro Vagos disse...

Pedro,

Eu não digo que não fomos pressionantes (mas atenção que é o Beira Mar), o que me fez mais impressão foi que, ao termos a bola, ninguém coria para a receber, não havia desmarcações... nada! Quem tinha a bola, dificilmente encontrava uma linha de passe para progredir no terreno. E aliás, a evidência maior disto que estou a dizer, foi o número de vezes que a bola foi atrasada para o Roberto. Ao contrário do ano passado, ontem o Benfica recuperava a bola rapidamente mas depois não saía naquele ataque de ritmo avassalador que nos tinha habituado. Mas isto, atenção, foi mais evidente na 1ª parte. O que faz perceber que, há imagem do ano passado, também ontem durante o intervalo o treinador soube espevitar a equipa!

John Billy #32 disse...

"Bailarino, o suplente do Maxi é o Amorim e vice versa...tivemos azar. Lembro-me de um ano em que tinhamos os 5 avançados todos no estaleiro e como tal não havia avançados disponíveis para os jogos. Não foi mau planeamento, foi azar."

Como?
O suplente do defesa direito é o médio direito e o suplente do médio direito é o defesa direito?
E chamas a isso bom planeamento?
É urgente vir em Janeiro um médio das características do Ruben. E com experiência. Nada de putos.
Só assim é que podemos aspirar a acabar a época com dignidade.

Também não achei muita diferença em relação ao jogo de Israel.
A diferença esteve na efectividade das equipas.
A defesa em linha esteve péssima.
Mas pelo menos houve entrega e é isso que se pede aos jogadores e ao Jesus.
E houve Cardozo e Ruben.
O Campeonato está muito difícil para não dizer impossível mas uma coisa é ficar em 2º a 2 ou 3 pontos do 1º. Outra coisa é ficar a 20 pontos.

João Bizarro disse...

Olha... o Homem-Alto voltou...

Ricardo disse...

O que me espanta neste Jesus 2010/2011 é que ainda não tinha percebido que tem de jogar com um médio que equilibre a equipa, seja Peixoto seja, preferencialmente, Amorim. E que não pode jogar simultaneamente com Aimar, Martins e Gaitán no meio-campo. Quando o Aimar se sentiu indisposto no jogo em casa com o Lyon, apareceu o Martins a 10 e o Peixoto a interior esquerdo. Grande joga, tudo certo, venha o Porto no Dragão! Chegados lá... inventa para caralho. Depois do Dragão, continua com a ideia peregrina de não dar ao Javi apoio nenhum no meio-campo. Resultados: levamos 3 do Hapoel e goleamos a Naval em casa num jogo em que podíamos ter mamado dois ou três golos. É só um médio de transições, Jesus, a qualidade no resto salta à vista! Anda lá, aprende com os erros, sê humilde.


O que me preocupa é que os melhores onzes e melhores jogos resultam sempre de o Jesus não ter a possibilidade de juntar Martins e Aimar, como hoje, em que não tinha o argentino. Sempre que os tem aos dois, mete-os no onze. Está na altura de optar por um ou por outro, tem de ser. Eu percebo que seja difícil deixar um deles no banco mas no ano passado ele fez isso e ninguém se queixou - Martins foi um óptimo 12º jogador muitas vezes.


Ou, a querer juntar os 2, tem de tirar Gaitán e não Amorim. Quanto ao argentino, só o vejo a segundo avançado neste esquema. A médio esquerdo faz desequilibrar a equipa e não explora as qualidades que tem individualmente. Ainda assim, e por a equipa estar mais equilibrada com Amorim, hoje já fez um jogo com outra qualidade.


O que me espanta é Jesus não ver isto. Como não tenho a presunção de achar que sei mais do que ele, deve haver aqui algum erro de análise da minha parte, com toda a certeza. Esperemos para ver os próximos jogos. Mas não me espanta que volte a entrar em campo com um meio-campo com Javi, Martins, Aimar e Gaitán. Lá casmurro é ele!




Tão xau!

iBenfiquista disse...

Concordo com o Mr. Shankly, acho que em Israel fomos melhores, mais pressionantes, não fomos é tão eficientes. Oportunidades tivemos tantas ou mais. Mas essa pressão constante transformou-se em ansiedade, cada vez maior à medida que o tempo passava. E faltou-nos o Cardoso.

Ontem se não marcávamos na 1ª parte iríamos ter problemas.

Como a perspectiva dos adeptos se transforma quando se ganha. É, de facto, extraordinário!

bailarino disse...

Pedro, se o Amorim é o suplente do Maxi e vice versa, tens 2 jogadores para 4 lugares!!! :) Se isto é bom planeamento...
O Salvio não entra nestas contas, porque para o Salvio jogar, do outro lado não pode estar o Gaitan, senão fazemos os jogos que fizemos com a Naval e em Israel (equipa toda partida; pode correr bem se marcamos cedo, mas também pode correr muito mal). Aliás, eu não me esqueço do LFV dizer que se o Ramires saisse (gosto do "se", como se houvesse hipoteses de ele ficar...) iamos logo buscar outro. Viu-se...
É um facto que tivemos azar porque o Ruben se lesionou, mas esse azar prevenia-se tendo soluções para esse lugar. Soluções que não existem. Mas o mercado de Janeiro espero que sirva para as termos.

Abraços

PS - Também não estou a meter o Luis Filipe nestas contas, mas OK, o Luis Filipe pode ser o suplente do maxi em caso de lesão. Mas voltamos ao problema do planeamento... :)

Pedro disse...

Eu acho que houve uma enorme diferença entre o jogo de Aveiro e de Israel. Contra o Hapoel atacámos muito mas mais por enorme debilidade do adversário que permitia que chegássemos lá rapidamente do que por pressão nossa. ontem houve pressão, houve raça, houve luta q não acho q tenha existido em Israel. Ontem mesmo se não vencessemos nada teria a apontar à equipa.

Rodrigo Rocha disse...

Pedro passei para conhecer seu blog ele é not°10, show, fantástico, muito maneiro com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom

Pedro Vagos disse...

Faltou no meu comentário (aliás, em ambos), dar os parabéns ao Jesus pela atitude na flash interview! Aquilo é destinado aos comentários pós-jogo... se querem, querem. Se não querem, tchau!
E com os desenvolvimentos de hoje, resta-me felicitar a SAD pela atitude de defesa ao seu treinador, e pelo comentário de resposta aos que se meteram num assunto que não era deles...

Mr. Shankly disse...

Pedro, se marcas primeiro em Israel, ou se não te anulam o golo tinhas vindo de lá com uma goleada, mas a favor. Um jogo daqueles explica-se porque correu tudo mal, e porque não temos neste momento força anímica para dar a volta a situações adversas. Mas jogámos muito melhor que em Aveiro.

Pedro disse...

Shankly, não tenho dúvidas que ganhavamos e a falta de atitude seria esbatida por essa vitória. Mas o problema estava lá.

Em Aveiro podíamos não ter ganho (futebol é assim) mas a atitude para mim foi inatacável.