blog

quarta-feira, julho 04, 2012

Emerson e Roberto

Não interessa a opinião que se tem dos jogadores em causa, já muito isso foi debatido. O que está em causa é a opinião que Jorge Jesus, o treinador do SL Benfica, tem dos jogadores Emerson e Roberto.
Quer o guardião espanhol, quer o defesa brasileiro, foram as opções principais do treinador para as suas posições. Roberto foi titularíssimo na baliza e apesar das constantes críticas negativas que teve, da pressão de adeptos e jornalistas, Jorge Jesus nunca perdeu a confiança no espanhol dando-lhe sempre a tranquilidade; Com Emerson foi igual, quando todos pensavam que seria o substituto de Capdevilla, Jorge Jesus optou pelo lateral brasileiro e, apesar de muitos o considerarem o elo mais fraco da equipa, o treinador nunca recuou e manteve sempre Emerson como opção principal para a lateral esquerda.
Em ambas as situações Jesus fez ponto de honra em não abdicar da sua escolha, defendeu sempre os jogadores e nunca cedeu à pressão exterior que pedia a substituição dos jogadores.
Chega o final da época e os jogadores são "dispensados".


Há aqui qualquer coisa que não faz o mínimo sentido: Ou o treinador acredita mesmo na qualidade dos jogadores por si escolhidos e defendidos e por isso os pôs sempre a titulares e é absurdo dispensá-los no final da época; ou o treinador dispensa-os porque reconhece que ambos não corresponderam ao desejado e dá razão às críticas que foram feitas durante a época o que revela uma perigosa e incompetente gestão da equipa preferindo Jesus defender o seu ego/teimosia do que a eficiência da equipa.


Estes dois casos retratam bem o que é Jorge Jesus como gestor de plantel, o que é Jorge Jesus como treinador teimoso. Repito algo que tenho dito, um treinador só pode ser teimoso quando tem curriculo para apresentar. Jorge Jesus não tem. Que sentido faz fazer finca pé nas suas opções durante uma época para depois dispensar os jogadores que tanto defendeu???


E este é apenas um lado da teimosia. O outro é o inverso, jogadores de qualidade que Jesus teima em não dar hipóteses. 

18 comentários:

Carlos Alberto disse...

Não tem curriculum?

Pedro disse...

Achas que tem?

Quantos anos de carreira tem? Uns 20? Um título de campeão nacional...e três taças da liga.

Parece-me muito, mas mesmo muito pouco, para tanta teimosia.

João Oliveira disse...

No entanto Roberto já foi considerado o melhor guarda-redes no campeonato espanhol na época passada. Se calhar não foi casmurrice...

Quanto ao Emerson em maior parte da época fez boas exibições. Apareceu mal em 2/3 jogos com um abaixamento de forma e caiu-lhe tudo em cima. Depois Capdevilla entra uns jogos e nem chega perto do nível que o Emerson já tinha apresentado e já era o maior.

O problema com estes jogadores e as razões por que são dispensados é porque não têm margem em relação aos adeptos. Um jogador não tem condições para estar no Benfica se a cada passe mal feito for logo assobiado. Esse jogador pode ser dos melhores do mundo, mas acaba de tal forma desmotivado que parece um amador.

Pedro disse...

João, se não é casmurrice (e, repito, aqui a nossa opinião é irrelevante) então pq é que o dispensou/deixou sair?

A questão é: Pq Jesus aposta forte neles, mantêm a aposta contra todos e no final dispensa-os?

Anónimo disse...

O Roberto ser considerado o melhor G.R. da liga espanhola, fez parte da pior defesa do campeonato, é uma anedota. Frente ao Barcelona, em Saragoça, desfilou a sua inabilidade para o lugar.
Casillas e Valdez devem jogar em Marrocos.....
a.p.

Pedro disse...

Julgar o Roberto por o Saragoça ter a pior defesa do campeonato faz tanto sentido como julgar o Artur por ter sofrido tantos golos como o Roberto. Vi o Saragoça levar uma tareia ou do Real ou do Barça e o Roberto fazer uma exibição monstra. Não é por aí. Nem isso é relevante para esta questão.

Para Jesus Roberto era o melhor pq apostou nele a época inteira. Depois despacho-o. É isto que eu critico. Esta bipolaridade.

N arquiteturas disse...

O Benfica do presidente Vieira é o Benfica dos 60% dos objectivos - presidentes como o Ferreira Queimado e o Borges Coutinho até devem dar voltas no caixão só de ouvir afirmações destas de dirigentes do Benfica.

O Benfica do Jorge Jesus é o Benfica do gabarolas, o gajo que diz que "papa" as mulheres todas e no fundo é mais um não "papa" nenhuma e que sofre de ejaculação precoce.

Fico muito triste com este Benfica, cada vez mais a parecer o cepórtêm

Saudações Benfiquistas!

SLB4EVER disse...

O desfecho previsível , quando se tem ideias fixas e não se dá a mão a palmatória para bem da equipa é o que acontece. Tanto os jogadores como a equipa tinham lucrado mais caso existisse bom senso e o ego não fosse colocado em primeiro lugar.

Vai uma aposta como este ano vamos ter mais um caso destes?

Manuel disse...

Que autoridade curricular é que tu tens para criticar o currículo do JJ? Que autoridade moral e conhecimentos profissionais é que tu tens para criticar o currículo do JJ?

Quem é essa "pressão exterior" que pediu a sua substituição? Agora os plantéis e as equipas são feitas pelos bloguistas do Benfica? Agora o clube é gerido de fora para dentro? Desde quando? O Benfica é a República das Bananas?

O Roberto ter sido escolhido como o melhor guarda-redes da liga espanhola (já o tinha sido no ano antes de vir para o Benfica) é sinónimo de que os espanhóis não percebem nada de futebol. Os e os portugueses benfiquistas é que são os verdadeiros conhecedores.

Arrogância e soberba... cada um toma a que quer.

luis disse...

E toda a gente tinha ficado a ganhar se JJ tivesse recuado, em especial com Emerson.

Roberto começou mal e saiu. Voltou porque o brasuca fez penalti. Roberto defendeu e até ao jogo de Braga esteve a bom nível, sendo que a equipa fez cerca de 20 jogos a vencer, muitos deles sem sofrer golos.

A questão que colocas é, no entanto, a mais importante. E ninguém consegue responder.

Anónimo disse...

Quem os dispensa é o Luis Filipe... Governando de fora para dentro, ao contrário do que diz que faz. Não sejamos ingénuos.

Pedro Vagos disse...

Quanto a mim, e sendo questionável a decisão final de os dispensar depois de tanto "apostar" neles - e talvez seja esse o verdadeiro cerne da questão... parece-me que foram dois casos distintos.
No caso do Roberto, a certa altura JJ deu a mão à palmatória, trocou-o pelo Julio César e... este foi expulso, Roberto entrou, defendeu um penalty... e agarrou o lugar (para o bem e para o mal) até ao fim da época. Pessoalmente continuo a achar que Moreira era melhor do que qualquer um dos outros dois... só não lhe foi dada oportunidade.
No caso do Emerson, foi um pouco diferente. Se é verdade que já era um pouco o Patinho Feio da equipa (com razão para isso), foi JJ que "acabou" com ele ao dizer que se César Peixoto não tivesse saído seria provavelmente o titular na defesa. Isso acaba com qualquer um dos que faz parte do plantel.
Quanto ao resto, concordo contigo. Não tem currículo para ser assim teimoso... só que falta competência desportiva em quem manda, para o porem na ordem.

Pedro disse...

Manuel, que tu não percebes nada de futebol já todos nós sabemos. Tens que perceber que por não perceberes nada do assunto não significa que outros não percebam, percebes? Ou é assim tão complicado perceber?

Já é a segunda vez seguida que nos teus comentários te trocas todo e pelas tuas palavras dás razão a quem tentas criticar. Se o patrão percebe isso tás tramado.. ☺☺☺☺

Nem sequer te vou bater mais...relê o que escreveste. LOL

Em relação à pressão: Como é possível entrares neste tipo de discussão sendo tão ingénuo? Acreditas mesmo no que escreves ou, lá está, apenas segues ordens do patrão sem pensar? Pareces os andrades que repetem o que o Pinto da Costa diz sem pensar. Ó homem pensa um pouco antes de escrever, não custa assim tanto.

Pedro disse...

"a decisão final de os dispensar depois de tanto "apostar" neles"

É isso mesmo Pedro Vagos. O Roberto para mim pode ser o melhor do mundo ou o Manuel das balizas. É irrelevante. O que interessa é a opinião de Jesus, o treinador, tem sobre ele. Sobre ele e do Emerson. E ao apostar tanto neles significa que lhes reconhece qualidade e confiança para tal aposta o que choca com a imediata dispensa após o final da época.

Esta bipolaridade é estranha e merecia uma explicação. Qualquer benfiquista questiona esta gestão desportiva.

O Bandido disse...

Deixem lá o homem, o currículo dele vai enriquecendo com taças da liga, para ele é como ganhar a champions, e pelos vistos para alguns adeptos também.. Força adeptos do Benfiquinha, continuem a defender a pobreza em que o clube se tornou.

N arquiteturas disse...

Deixo aqui umas perguntas aos "Benfiquistas dos 60% dos objectivos" para reflectirem:

- Quando é que se vão cansar de ficar em 2ºLugar no campeonato?

- Não estão fartos de um "mestre da táctica" que todos os anos leva banhos de bola de treinadores como o vitor pereira, por exemplo a época passada na Luz - a ganhar 2-1 tira um médio para por um avançado, no jogo do titulo?

Até quando vão suportar declarações ridículas como esta do LFV "Vamos montar um plantel de enorme qualidade e com muitas soluções.Um plantel que qualquer clube na Europa se orgulharia de ter e que vai ter a responsabilidade de lutar até ao limite das suas capacidades nas várias competições"...LFV nós queremos títulos, principalmente campeonatos e taças de portugal! Não queremos ir longe e depois não ganhar nada! Isso não é o meu Benfica!

Até quando vão suportar elementos na direcção da SAD Não Benfiquistas?

Saudações Benfiquistas!

Anónimo disse...

tiraste-me as palavras da boca.

o problema do EGO do JJ é que no fim quem paga com as derrotas somos nós....

o JJ parte para outra e o clube é que fica a perder com os braços de ferro do JJ

seria interessante que houvesse um jornalista com os TOMATES no sítio para lhe fazer essa pergunta que tu colocas

Anónimo disse...

Prova que o Jesus, ao contrário do que por vezes se diz, é leal e expressa confiança nos seus jogadores, pelo menos naqueles cujo valor futebolístico crê, e isto é essencial. Um treinador que decidisse sob pressão pública seria muito mal visto pelos próprios jogadores. Além disso, mesmo que ainda confiasse no valor do Roberto e no do Emerson, depois de lhes ter dado uma época inteira de oportunidades, que chega e sobra, tem toda a legitimidade para decidir que não servem os interesses do Benfica.