blog

terça-feira, dezembro 04, 2012

Martins e Aimar


O que se passa com estes nossos dois bravos?

Carlos Martins é um exemplo clássico de como Jorge Jesus gere um plantel. Na pré temporada foi o nosso melhor jogador. Chega aos jogos a sério e não sai do banco durante uma série de jornadas. Depois lesiona-se e, por duas vezes, Jesus mete-o a titular para se ressentir da lesão e voltar a ficar vários jogos no estaleiro. 

Pablo Aimar cujo passado de lesões sempre assustou na Luz mas que nunca teve grandes razões de queixa, desta vez, parece ser mesmo uma carta fora do baralho. Teve uma aparição repentina na segunda parte no jogo contra o Barcelona e voltou a eclipsar-se numa suposta lesão que teima em não o largar.

A equipa tem dado conta do recado mas agora que se aproximam jogos importantes e momentos decisivos a ausência destes dois jogadores, cada um à sua maneira, fará muita falta à equipa. 

14 comentários:

Shadows disse...

Pois, é isso, o Jesus é o grande responsável pelos jogadores lesionados... e se calhar também é o responsável pelo frio desgraçado que tem feito nestes ultimos dias... deixa de ser parvo e começa a olhar e a valorizar o que este treinador tem de bom, em vez de andares a procurar erros através de conspirações e delirios...

Pedro disse...

Claro que sim...eu é que meto a jogar um jogador que sei que não está recuperado a 100%.
Parvoíce a minha.

Carlos Alberto disse...

Com o coração em absoluto desassossego, concordo com o Shadows.

zorg disse...

Quem deve determinar se um jogador está apto a jogar ou não, é o departamento médico, não o treinador.

Se há jogadores a jogar sem estarem aptos - e eu não estou a dizer que há - o culpado é o responsável pelo departamento médico.

Rfa disse...

Isto so lido porque contado nao da para acreditar. Agora o Jesus quer que os jogadores se lesionem. Ha com cada uma. Embirraste com o homem e agora vai disto. Pronto.

Pedro disse...

Zorg, isso fazia sentido se Jesus não tivesse assumido o risco pela utilização de Carlos Martins...ele sabia que o jogador podia ter uma recaída por não estar a 100%. Ele afirmou isso. São palavras dele.

Rfa, são palavras tuas, não minhas.

zorg disse...

Se alguém assumiu um risco, foi o departamento médico. Mais uma vez, não é o JJ que determina se um jogador está apto ou não. O JJ pode achar, pela sua experiência passada, e com o jogador, que o CM não deve jogar muito tempo após regressar de uma lesão, mas isso é outra história. O CM jogou, porque foi considerado apto pelo departamento médico.

B Cool disse...

Não entendo, não foi só o Carlos Martins, já aconteceu o mesmo com o Enzo, o Melga e com o Garay. O Jesus disse textualmente que sabia que os 3 jogadores não estavam a 100% mas que tinha decidido arriscar, consequência o Enzo saíu aos 15 minutos de jogo e o Garay acabou o jogo mas lesionado. Depois noutro jogo aconteceu o mesmo com o Maxi Pereira tendo que sair a 15 minutos do fim.
Isto são factos, aconteceu, não venham culpar departamentos médicos, qualquer pessoa sabe que se os jogadores e o treinador quiserem, mesmo não estando as melhores condições arriscam. Umas vezes corre bem, nesta época tem corrido mal

Pedro disse...

Zorg, o JJ afirmou que tinha consciência que CM não estava a 100% e do risco q corria em metê-lo a jogar.

Impressionante como perdoam tudo a este homem...

zorg disse...

"Zorg, o JJ afirmou que tinha consciência que CM não estava a 100% e do risco q corria em metê-lo a jogar."

Não estar a 100% do ponto de vista do treinador não é a mesma coisa que não estar clinicamente apto para jogar. Quando JJ diz que correu um risco, provavelmente está a dizer que meteu a jogar um tipo com poucos treinos depois de uma lesão, com pouco ritmo, etc. Tu é que fazes a interpretação de que o risco teria a ver com a possibilidade de se lesionar outra vez.

Eu acho impressionante é como tu atribuis tudo o que de menos positivo acontece ao JJ. Agora é ele que decide se um jogador está clinicamente apto para jogar? E o responsável do departamento médico do Benfica, que é um médico experiente, renomado e com um código deontológico a seguir, alinha nisso? Tens noção da barbaridade que estás a dizer?

O departamento médico do Benfica não é liderado pelo Professor Bambo, nem o Benfica é o Sabóia Atlético Clube, onde o massagista é também treinador e dono do bar (sem querer menorizar nem o Professor Bambo, que tem uma eficácia comprovada no combate aos maus olhados, nem o Sabóia Atlético Clube, que é incontestavelmente o maior clube da freguesia de Sabóia).

Não és obrigado a gostar do Jorge Jesus e tens todo o direito a achar que o gajo é mau treinador, ou é um bronco, ou está a fazer um mau trabalho, ou que há melhores alternativas para o Benfica. Eu próprio acho que ele é um bronco e um arrogante de merda. Agora, culpar o Jorge Jesus por jogadores que ainda por cima têm um historial complicado de lesões, estarem lesionados, acho que não faz nenhum sentido e é estar a embarcar num caminho que qualquer dia te fará estar a culpar o Jorge Jesus pela crise financeira global, ou pelo mau tempo ao fim de semana.

Jotas disse...

De facto é verdade, estes jogadores na sua melhor forma seriam muito uteis ao Benfica, provavelmente não há uma explicação lógica para esta situação que se lamenta.

Anónimo disse...

Pedro,
Depois do que escreveste sobre JJ e o lesionado Carlos Martins, esperava que tirasses consequências disso.
Ou seja, aguardo que exijas o despedimento imediato de JJ e com justa causa, pq, tomando como verdade o que dizes, a equipa não pode treinada por alguém assim.
a.p.

Pedro disse...

Zorg, estás a desconversar. Jesus disse que sabia que o Carlos Martins não estava apto fisicamente a 100%. Q assumiu o risco de o pôr a jogar e ele se poder lesionar (como aconteceu). Escusas de andar ás voltas com o departamento médico. Não foi isso q se passou com Carlos Martins.

a.p., não me parece q seja motivo para despedimento por justa causa. JJ tem outros erros bem mais graves. E inexplicáveis...

zorg disse...

"Zorg, estás a desconversar. Jesus disse que sabia que o Carlos Martins não estava apto fisicamente a 100%. Q assumiu o risco de o pôr a jogar e ele se poder lesionar (como aconteceu)."

Não estou nada a desconversar. Eu não tenho aqui as declarações à minha frente, mas julgo que o Jesus assumiu o risco de colocar o CM a jogar DE INÍCIO. E esse risco não tem a ver com o facto de ele estar clinicamente apto ou não, mas sim com o facto de ser um risco maior colocar um jogador que está parado há muito tempo de início, do que o colocar mais tarde, com o resultado já feito. Parece-me que tu é que fizeste a leitura de que o risco de que o Jesus falou tinha a ver com uma hipotética recuperação incompleta da lesão (e, por isso, com uma maior probabilidade do jogador se voltar a lesionar).

Mais uma vez te digo que a este nível não há espaço para que seja qualquer outra pessoa que não o médico a determinar se um jogador está apto ou não. Colocar um jogador a jogar sem ele estar apto e depois ele lesionar-se a sério seria uma bronca do caraças, com consequências não só para o clube (processos judiciais e coisas desse género), como para os próprios médicos que fazem parte do departamento médico. Negligência médica é um tema muito sensível.