blog

quinta-feira, agosto 05, 2010

Um Olho à Benfica #40

O negócio Ramires

O Benfica aceitou transferir Ramires para o Chelsea e executou um dos melhores negócios do ano, em Portugal. Isto é indiscutível e o mérito é de quem desenhou a operação, com um ano de antecedência. O presidente do Benfica - de quem não sou especial adepto - definiu os termos da negociação, com os investidores estrangeiros que tornaram possível ao Benfica contratar um craque de enorme categoria e numa fase ascendente da sua carreira.

O Benfica, inteligentemente, aceitou as regras do "empréstimo" e aceitou esta espécie de contratação "in vitro", para reforçar com qualidade, o seu plantel. O que aconteceu, neste último ano, é sintomático de que o Benfica estará em posição, no futuro, de fazer negócios semelhantes. O Benfica foi campeão, o jogador valorizou-se e os investidores ganharam o seu dinheiro, como era justo de acontecesse.

Além do mais, o Benfica realizou, no conjunto da operação, uma mais valia de nove milhões e meio de euros. Mais valia ficar quieto? Não creio. Imaginem, em simples exercicio, que cada um dos jogadores do Benfica, contratados daqui em diante, rendiam ao Benfica, o que Ramires rendeu. Talento, dedicação e milhões de euros. O negócio de Ramires, juntando o dinheiro investido, as boas exibições do jogador, a sua infulência no bom futebol e os milhões realizados, tratou-de um negócio criativo e percursor.

Aliás, este que o Benfica fez, devia ser um case-study para todos os clubes portugueses que se debatem com dificuldades e continuam a importar doses maciças de jogadores de qualidade duvidosa. Esses é que são negócios ruinosos, apenas para os clubes, completamente "vampirizados" por alguns dirigentes e agentes sem escrúpulos.

O que não vi ainda discutido, sobre Ramires e a sua venda, é que o Benfica enviou um sinal muito positivo para os investidores estrangeiros, que têm o dinheiro mas não confiam no futebol português e nos seus agentes. É que o Benfica é um clube que valoriza os jogadores e é um clube onde vale a pena investir. Agora não, mas no futuro, isto fará a diferença. E, principalmente, proporciona ao Benfica condições para descobrir um novo Ramires, investindo o Benfica na sua promoção desportiva e outros na aquisição dos seus direitos económicos.

Francamente, o presidente do Benfica já fez muitas coisas que mecerem a censura dos adeptos e dos sócios do Benfica, mas o negócio Ramires não é um caso de incompetência, mas sim de engenharia desportiva. Um grande negócio para o Benfica, como eu gostaria que fossem todos.

42 comentários:

iBenfiquista disse...

Nem mais!

Luís Marques disse...

Se o negócio estava há muito definido, porque é que não se realizou mais cedo dando mais tempo ao Benfica para encontrar um substituto à altura?

JediVermelho disse...

Concordo ctg, é verdade! Mas tb n seria útil e bom apostar em alguma prata da casa, vendendo-a pelo mesmo que se vendeu ramires? e realizar a mais valia a 100% sem gastar €??

Helder disse...

Nem mais nem menos. 100% de acordo. Venham mais Ramires assim que eu não me importo.

Pedro Fernandes disse...

Sem querer ofender ninguém acho que tudo o que for contrariamente pensado ao escrito neste post é uma verdadeira estupidez e burrice...

1 ano = 9,5M (finaceiramente falando)

em termos desportivos,
1 campeonato + 1 Taça da Liga que o Ramires ajudou a ganhar

...podiam vir mais destes jogadores para a época que se avizinha!

Pedro disse...

Nem mais. Os benfiquistas têm que se metalizar q eram estas as premissas do acordo...e rendeu-nos 10 milhões de euros e um campeonato nacional e, tb muito importante, essa porta aberta junto de investidores para negócios semelhantes.

Substituto de Ramires? Acredito que a esta hora estarão 2/3 nomes na mesa prontos a serem negociados.

T disse...

Eu sei que é bom financeira e desportivamente. Mas a questão não é essa...

Eu não gosto de ver o Benfica ser barriga de aluguer, nem um entreposto de jogadores. Começa logo aí.

E muito mais haveria por dizer...

MS disse...

Substitutos de Ramires podem ficar para depois. Agora o mais importante e a concentracao total na Supertaca, um jogo que ira ser dificilimo. Trata-se de um jogo crucial para o FCPorto que quer dar desde ja uma dentada nas aspiracoes de crescimento do Benfica, crucial para Andre Villas Boas que quer entrar com um cartao de visita importante (ainda para mais depois dos "toques" de Mourinho) e crucial para os jogadores do FCPorto que se sentem feridos pelo titulo benfiquista (basta ver a atitude e reaccao no FCPorto-Benfica do final de epoca passada).
Para o Benfica esta muito mais que a Supertaca em jogo - esta o sinal que e dado para o futebol portugues quanto ao campeonato que se avizinha e a sustentacao de uma nova distribuicao de forcas no futebol portugues que todos os benfiquistas desejam.
Pessoalmente, a Supertaca e uma competicao que acho fundamental ganhar. Neste momento, e por traduzir os anos de hegemonia portista, o FCPorto detem de longe o maior numero de Supertacas. Isso incomoda-me e espero que consigamos com tempo rectificar, a comecar sabado. Tal como a Taca da Liga, que me parece uma excelente oportunidade de ligar o nome do Benfica a uma competicao recente e estabelecer uma hegemonia semelhante a portista na Supertaca, estas competicoes nao sao a meu ver competicoes menores.
Tenho de admitir no entanto que visceralmente nao me sinto confiante. Espero ter uma surpresa no sabado!

www.thebutterflyislate.blogspot.com

MS disse...

Substitutos de Ramires podem ficar para depois. Agora o mais importante e a concentracao total na Supertaca, um jogo que ira ser dificilimo. Trata-se de um jogo crucial para o FCPorto que quer dar desde ja uma dentada nas aspiracoes de crescimento do Benfica, crucial para Andre Villas Boas que quer entrar com um cartao de visita importante (ainda para mais depois dos "toques" de Mourinho) e crucial para os jogadores do FCPorto que se sentem feridos pelo titulo benfiquista (basta ver a atitude e reaccao no FCPorto-Benfica do final de epoca passada).
Para o Benfica esta muito mais que a Supertaca em jogo - esta o sinal que e dado para o futebol portugues quanto ao campeonato que se avizinha e a sustentacao de uma nova distribuicao de forcas no futebol portugues que todos os benfiquistas desejam.
Pessoalmente, a Supertaca e uma competicao que acho fundamental ganhar. Neste momento, e por traduzir os anos de hegemonia portista, o FCPorto detem de longe o maior numero de Supertacas. Isso incomoda-me e espero que consigamos com tempo rectificar, a comecar sabado. Tal como a Taca da Liga, que me parece uma excelente oportunidade de ligar o nome do Benfica a uma competicao recente e estabelecer uma hegemonia semelhante a portista na Supertaca, estas competicoes nao sao a meu ver competicoes menores.
Tenho de admitir no entanto que visceralmente nao me sinto confiante. Espero ter uma surpresa no sabado!

www.thebutterflyislate.blogspot.com

Mr. Shankly disse...

"Se o negócio estava há muito definido, porque é que não se realizou mais cedo dando mais tempo ao Benfica para encontrar um substituto à altura?"

Se calhar porque o Chelsea não faz propostas quando nós queremos, mas quando quer. O que estava definido é que o Ramires sairia se houvesse propostas, não estava definido que era para o Chelsea e por 22M €.

Qunato ao substituto, acredito que não demore a sair.

M disse...

penso o negocio foi exemplar de como clubes, apesar de grandes em nome e historia, mas que nao possuem os meios financeiros de outros, podem tornar-se desportivamente e finaceiramente competitivos.

requer capacidade negocial, profundo conhecimento do mercado e fortes e decisivas lideranças.

o que o Benfica fez no caso ramires é um entreposto de jogadores "á séria", no qual entra e sai mas com grande beneficio desportivo e financeiro para o clube e nao, para engordar empresarios manhosos...

deste modo, penso que nos tornamos atractivos para potenciais investidores...

gostei.

e ja cheira a supertaça...

jogo muito importante na minha opinião....
se perdermos, perdemos...chato, muito chato, mas se ganharmos e se conseguirmos espetar uns 3 no Porto, acho que os desgraçamos para o resto da epoca...

desgraçamos as contrataçoes, o treinador, a politica de aquisiçoes, levam uma chapada que vao levar umas boas jornadas para recuperar...e a perder pontos.

:)

John Billy #32 disse...

José Marinho, algumas dúvidas:
- O Ramires alguma vez foi do Benfica? Quero dizer, alguma vez teve voz no futuro do jogador?
- Os 7 milhões e meio do passe foram pagos pelo Benfica?

PS: Amanhã é para ganhar! Vamos lá debilitar o Porto antes mesmo de começar o campeonato!
2 golos do Cardozo e outro do Jara.
E o Roberto vai pintar a manta!

Rui disse...

E viva o entreposto de jogadores... pelos vistos se o Benfica deixar de ser um clube de futebol e passar a ser uma montra para os empresários exporem os seus jogadores ninguém se importa, interessa é ter um craque no plantel nem que seja só por um ano...

E logo com o Kia, é ver o que aconteceu no Corinthians...

Algarviu disse...

Rui, isto sempre é melhor do que ter o maniche...

O negócio Ramires, entre outros, mostra que a direcção do Glorioso também é capaz de fazer bons negócios.

anticretinusaloiusalexis disse...

aos @Ruis

...o que importa é ter resultados
desportivos e isso é apenas possível com bons jogadores e dinheiro obtido com a sua valorização.

Que queres mais dum clube de futebol?
Jogadores com amor à camisola, brasileiros, argentinos que são do benfica desde pequeninos?

Ou queres o(s) Ramires até aos 35anos no SLB e após isso o abraçar duma carreira directiva?

Anónimo disse...

"deixar de ser um clube de futebol"!!!!

Que tolice! Então deixa de ser um clube de futebol só porque fez um negócio com inegáveios beneficios!!!

Podiam acontecer 2 ou 3 situações destas todas as épocas. No mundo do futebol sbt depois da lei Bosman, safa-se quem sabe aproveitar melhor os seus activos, valorizá-los e reciclá-los...

Isto é moderna gestão de um clube, se não o percebes é porque ficaste alguns anos para trás...

José Marinho disse...

Rui, há uma diferença substancial entre o que aconteceu no Corinthians e o que aconteceu com o Benfica neste negócio. É que o Kia controlava o clube brasileiro e as coisas correram mal. Aqui, o Benfica controla a negociação, porque controla a SAD. E tudo correu bem. Acho que a diferença é realmente gritante e francamente, ser barriga de aluguer, neste caso, permitiu ao Benfica ter um encaixe financeiro, ter um jogador de qualidade e ganhar competições. E no limite, prefiro ter jogadores de aluguer, do que títulos de aluguer.
Meu caro John Billy, o Benfica apenas realizou uma pequena parte do valor inicial investido na contratação do jogador. Mas nisto, o Benfica nunca mentiu à CMVM, porque o Benfica sempre disse que tinha adquirido os direitos desportivos de Ramires. E é verdade, o Benfica tinha os direitos desportivos. Já os económicos...Isto para lhe dizer que, no limite, o Benfica podia sempre evitar a transferência, porque a FIFA não reconhece a titularidade dos direitos económicos a outras entidades que não sejam os clubes. Mas há contratos assinados, existe a vontade do jogador e a boa fé negocial. Era inevitável e reforço, foi um grande negócio do Benfica que outros clubes portugueses deviam seguir, pois talvez evitassem os prejuizos assombros que vão acumulando.

José Leal disse...

A condição de dependencia perante outros é natural se pensarmos nas condicionantes financeiras que nos afectam. Não só a nós mas como a todos os clubes «como» nós.

O caso do Ramires é simples, é a consequencia de viver acima das possibilidades. Ramires, na altura em que foi recrutado, estava fora do nosso alcance. Não é possivel um jogador de 23 anos com lugar na canarinha vir para Portugal, em condições normais. Pronto, para vir teve de ser em condições anormais.

Se queremos viver de quando em vez acima das nossas possibilidades, no caso contratar um jovem internacional brasileiro como Ramires, temos de nos sujeitar às circunstâncias.

A outra opção era não ter o Ramires.

Tiago Coelho disse...

Quem me dera ser sócio da Jazzy…

Felizmente hoje no Benfica ninguém questiona nada, se fosse noutra empresa qualquer que a venda de parte dum activo desse um lucro de 5 milhões em poucas semanas a uma off-shore qualquer havia de ser bonito…

Anónimo disse...

- O Rodrigo vai mesmo ser emprestado, o Rui deu a entender isso na apresentação.

- Virá certamente um extremo esquerdo, como nâo podia deixar de ser.

- O dia de hoje poderá ser decisivo para a contratação de Wesley.


Tozemarreco

John Billy #32 disse...

Obrigado pelo esclarecimento José Marinho.
Agora fico a espera do:
"o negócio Roberto"
"o negócio Rodrigo"
:)

José Marinho disse...

Além do mais, há outros factores a considerar. A marca Benfica prestigiou-se e alargou a sua influência no Brasil. Hoje em dia, qualquer jogador brasileiro com ambição de chegar à selecção sabe que jogando no Benfica lhe garante a exposição necessária. O caso de Wesley é sintomático. Mesmo os clubes brasileiros, cuja astúcia para o negócio é conhecida, reconhecem o Benfica como um clube onde os jogadores se valorizam. E a médio prazo ganham com isso, porque há direitos de formação a pagar por cada transferência internacional. É sempre dinheiro em caixa. Porque é que o presidente do Santos insiste em fazer negócio com o Benfica, a propósito do Wesley? Porque já percebeu que é ali que o jogador pode valorizar-se, pode chegar à selecção do Brasil e a prazo pode vir a ganhar dinheiro com futuras transferências. Ao jornal O JOGO, chega ao ponto de dizer que é benfiquista desde pequenino. Isto conta, isto tem valor e só é possível porque o Benfica é um parceiro credível para os clubes brasileiros. Além do mais, ninguém se lembrou de escrever isto, mas o Benfica também foi remunerado pela FIFA, pelo facto de Ramires ter sido convocado para o Mundial. É mais um factor de sucesso nesta operação. E depois, a transferência destes jogadores para clubes como o Chelsea, tem um outro efeito positivo...o da bilateralidade dos contactos entre clubes. Foi assim que o FC Porto cresceu, durante anos, enquanto conseguiu fazer os meganegócios com grandes clubes europeus, estreitando relações que levaram o FC Porto - mesmo não sendo o maior clube português - a estar representado no extinto G 14, influenciando, a partir de dentro, as relações entres esses clubes e o futebol português, deixando o Benfica nas margens de uma associação que pretendia chegar à organização de uma NBA europeia. E, claro, sem Benfica. Tudo isto conta, porque tudo isto está ligado, e tudo isto deve contribuir para que o Benfica recupere a hegemonia do futebol português. Isso passa por ganhar campeonatos, mas também passa por estabilizar a imagem internacional do clube. E isso consegue-se com grandes jogadores. Como o Ramires.

José Marinho disse...

O negócio Roberto, pelos valores que foram conhecidos é indefensável, até porque o jogador tem revelado gritantes dificuldades e não apenas de adaptação ao clube e ao futebol português. Veremos o que acontece, porque já tive a informação de que o Roberto impressionou toda a gente no Benfica, nos primeiros treinos. Porém, os jogos, trouxeram uma realidade diferente e já levaram a que se questionasse uma nova contratação para a baliza do Benfica. Não acredito que ela suceda, mas já escrevi aqui o que penso do assunto. Quanto mais tarde se reconhecer que temos um problema, mais dificil será, depois, resolver esse problema. Agora sim, a Brigada dos "Costumes" já pode apregoar aqui e noutros locais santos da blogosfera benfiquista, o meu anti-benfiquismo, porque fiz uma crítica, o que, como se sabe, hoje em dia é uma pilantrice para os benfiquistas moralmente superiores.
Quanto ao Rodrigo, é um bom negócio, porque coloca o Benfica na posição em que deve estar. De um clube que cuida o presente e que planta para o futuro. De resto, trata-se de um jogador de enorme potencial, que vai estar no Mundial sub-20, onde pode valorizar-se brutalmente. E foi contratado abaixo dos apregoados seis milhões de euros. Tanto que a comunicação que o Benfica fez à CMVM omite os valores da transacção, o que significa que foi abaixo do milhão de euros, de outro modo, era obrigatório o seu anúncio. Uma boa contratação do Benfica de um jogador que é um dos maiores talentos do futebol europeu, na categoria de sub-19 e que será uma das grandes atracções do próximo Mundial sub-20.

T disse...

Mas José Marinho, no Relatório e Contas do ano passado está lá bem explícito que foi o Benfica que desembolsou, há um ano, os 7,5 M€...

John Billy #32 disse...

"Tanto que a comunicação que o Benfica fez à CMVM omite os valores da transacção, o que significa que foi abaixo do milhão de euros, de outro modo, era obrigatório o seu anúncio."

Sendo assim, trata-se de um excelente negócio!
Uns tempos atrás também foi referido que o Alípio já pertencia ao Benfica.
O negócio Di Maria afinal de contas foi um bom negócio.
25 milhões mais o passe de dois jogadores com potencial e ainda a possibilidade dos 5+6.
Só falta saber quais são os tais objectivos para accionar as cláusulas.

Em relação ao Roberto confirma-se. 8,5 milhões deitados ao lixo.
Por mim não havia mais nenhum negócio com o Atlético.

Miguel disse...

Caro Jose Marinho, as divulgações à CMVM "nada" têm a ver com os valores, mas sim com a relevância da noticia para a evoluçao das açcões. Não ter sido dito o valor de transacção do Rodrigo não implica de forma alguma que tenha custado menos de 1 milhão.

Miguel Costa

José Marinho disse...

Caro Miguel, as operações abaixo de um milhão de euros não têm de ser comunicadas à CMVM. Todas as operações acima do milhão de euros têm de ser divulgadas à CMVM. O resto, todos concluirão por si.

Gabriel disse...

Caro José Marinho,

Acaba de afirmar no blog forum benfica que Wesley já é jogador do Benfica. Essa informação é absolutamente segura? Pode garanti-la?

José Marinho disse...

Meu caro Gabriel, eu não garanti que o jogador tenha assinado. O que recomendei foi a um dos autores desse blogue que dissesse que o jogador que estará para assinar contrato com o Benfica é o Wesley. Porque ele sabia da informação, porque eu sei da informação, mas não posso assegurar que tenha assinado já. Mas como é adiantado nesse blogue, está quase. Isso está.

Miguel disse...

Jose Marinho, procure a divulgação da contratação do Eder Luis e do Kardec. Ambas acima de 1 milhão.
A relevância da notícia para a evolução das acções é que determina a sua divulgação ou não.
De qualquer forma julgo que se tivesse sido por 6M o Benfica deveria comunicar.

olhos de aguia disse...

Bom, quero agradecer a José Marinho, um jornalista que me habituei (discordando muitas vezes) a admirar com os seu comentários incisivos e inteligentes, pela vontade de partilhar algum do seu saber!
quero também dizer-lhe que está na minha opinião, redondamente enganado em relação a Roberto! não está ali nenhum problema (tenha ele mentalidade de campeão) mas sim a solução de um problema (quim e moreira) há muito por resolver, e que Jorge Jesus viu assim que chegou ao Benfica...quanto ao resto concordo em absluto:
cumptos

Anónimo disse...

Jose, que lhe parece a hipotese Ben Arfa?

Abraço
Daniel

Tiago Coelho disse...

Isso não é assim José Marinho.

Por exemplo, se contratássemos o Ronaldinho por zero euros, tínhamos obrigatoriamente que comunicar à CMVM porque é uma compra que influencia a cotação da SAD em bolsa.

Não existem valores mínimos ou máximos para se emitir um comunicado. O que existe é a obrigação de comunicar qualquer negócio que faça "mexer" as acções da dita empresa.

Basta ler os regulamentos da CMVM, está lá isso bem explícito.

E mesmo que fosse verdade o que escreveu sobre este assunto, o dito Rodrigo por muito bem ser descontado no negócio Di Maria.

John Billy #32 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mentiroso disse...

O grande Elias ou, o que faz falta é motivar a malta.


Depois das recentes contratações de Alípio e Rodrigo, ao que tudo indica, ambos para emprestar - tal como eu já tinha vaticinado há cerca de um mês atrás - parece estar a caminho do Benfica o trinco Elias, do Corinthians, com a missão de suceder a Ramires.

São jogadores de características diferentes, sendo que este lugar específico já era, na minha opinião, o mais bem servido do plantel. Tínhamos o Aírton e o Javi Garcia que, a partir de agora, passam agora a ter a concorrência do grande Elias (1,73 m de altura). Poucos clubes europeus podem concorrer connosco em qualidade e em quantidade na “cabeça de área”.

Enquanto isso, outro trinco, este da formação do Benfica, parece estar a caminho de um grande de Itália. A parte boa de tudo isto é que a saída de Danilo permitirá ao Benfica receber mais de QUATROCENTOS MIL EUROS pelos direitos de formação.

Calvinehobbes disse...

ainda nao percebi a optica do "mentiroso", porque sente necessidade de dizer em todos os blogs benfiquistas a mesma coisa, mesmo quando nada tem a ver com o post...

A azia é grande...

Rui Silva disse...

A azia é grande ou então está a dizer uma grande verdade.

Custo é admitir isso a certos «carneiros». Tudo o que ele referiu é verdade, desde o dois canteranos para emprestar, passando do facto de vir mais um pseudo craque, até ao facto de um dos 10 melhores sub-19 do Europeu ser dispensado do Benfica. Já agora, onde está mesmo o super craque Rodrigo nessa lista?

João Tomaz disse...

Excelente post!

Benfica Eagle disse...

José Marinho, boa tarde

Confesso que gostei do post, no entanto não deixo de ficar algo intrigado com o mesmo.

O que explica neste post é o que eu já defendo há mais de 3 anos no mundo online benfiquista, ou seja, a utilização de parcerias financeiras de "venture capital" para a gestão de activos (jogadores de futebol).

O facto de José Veiga não ter enveredado por este caminho (das parcerias com fundos), algo que o porto já faz há vários anos, e ter optado por "importar doses maciças de jogadores de qualidade duvidosa" já que o cash disponível não era abundante, é que me levou a discordar, de forma justificada, das opções então assumidas pelo ex-Director Desportivo do Benfica.

Na altura muitas pessoas pensaram tratar-se de um ataque à pessoa de José Veiga, e a intenção estava longe disso, até porque o tempo acabou por me dar razão, e agora até o José Marinho defende a mesma política desportiva.

Se o Benfica investiu cerca de 100M€ nas últimas 3 épocas, também é verdade que já vendeu 40M€ aos fundos, ou seja teve de despender apenas 60M€ em 3 épocas para ter o excelente plantel que tem.

José Veiga na altura não teve 100M€, mas teve cerca de 45M€ em 2 épocas, dados na CMVM, que com o apoio de fundos poderiam alavancar o investimento e conseguir alcançar vários dos jovens mais promissores da altura.

Se é verdade que Veiga e Mendes se incompatibilizaram, também é verdade que existia e continuam a existir Kia, Zahavi, Figger, entre outros.

Ainda para mais José Veiga admitiu há pouco tempo ser consultor de 2 fundos internacionais de jogadores!


O Porto neste momento tem 15 jogadores no plantel sobre os quais não controla os 100% dos direitos económicos. Ou seja, também tem recorrido às mesmas parcerias, mas de outra forma.


Ainda hoje estou intrigado com a opção assumida na altura, e confesso que ainda não a consigo entender.

Cumprimentos

Pedro disse...

" passando do facto de vir mais um pseudo craque"

Pseudo craque como Ramires, como Di Maria, como Jara, como Gaitan, como Airton, como Kardec?

Ainda não chegou e já é pseudo...espectáculo.

Anónimo disse...

Fdx! Ou é da transmissão do jogo na Tunísia... ou não estamos a jogar merda nenhuma!

Pedro Vagos

Anónimo disse...

Jara craque?
Gaitan craque?
Kardec craque?

Em que planeta mesmo?