blog

terça-feira, abril 21, 2009

Um Olho à Benfica #4

O meu padrinho sportinguista!

Vou ser sincero convosco. Não costumo partilhar da antipatia histórica e figadal dos benfiquistas pelo Sporting. É um clube que tolero bem, o meu falecido padrinho era um grande sportinguista e ainda hoje lhe reconheço o estoicismo com que sempre tentou influenciar-me, na minha infância, a mudar de camisola. Para sua infelicidade a sua tentativa de me lavar o cérebro com constantes aliciamentos – com chocolates, devo confessar – à sua fé clubística não teve o desfecho que ele pretendia, mas por empatia pessoal ou reflexo condicionado, fui desenvolvendo uma tolerância que me acompanhou até à minha mudança definitiva para Santarém, há pouco mais de dez anos.

Nessa altura, comecei a libertar-me, lentamente, desse estigma pessoal, como se carregasse comigo uma dívida impagável pelos constantes favores do meu padrinho – apesar de reconhecer esse pagamento em chocolate, juro que ainda não estava em idade de pensar sexualmente nas coisas e que não há memória de uma escuta minha e do meu padrinho constar do extenso e esclarecedor dossier que a PJ detém de conversas telefónicas, fruta e derivados do cacau.

É curiosa esta minha desprendida ligação ao Sporting, porque nos últimos anos, durante o exercício da minha função jornalística na Sporttv, um treinador muito conhecido do nosso campeonato, cuja simpatia pelo Benfica deixaria muitos dos leitores deste texto completamente surpreendidos, um dia disse textualmente a um colega meu: «Gosto muito de ouvir o José Marinho a fazer comentários, só tenho pena que seja tão sportinguista». Depois de ter sido elucidado pelo meu colega sobre a tinta vermelha que pintava a minha manta clubística, sentiu o impulso de me ligar nesse mesmo dia em que lhe foi feita a revelação do meu benfiquismo. É curioso, porque desde essa altura tornámo-nos amigos e quase sempre os nossos debates são sobre o Benfica e sobre o seu sonho de treinar o nosso clube e do meu desejo em vê-lo treinar a nossa equipa. Posso dizer-vos que se trata de um ex-jogador importante do FC Porto, com a imagem muito conotada com esse clube, mas que sente a sua carreira e benfiquismo incompletos, porque nunca lhe foi permitido jogar no Benfica e agora promete não desistir de um dia servir o nosso clube, apesar de dois ou três ensaios já testados por ambas as partes.

Vem isto a propósito da consideração geral, de muitos adeptos e até de jogadores e treinadores da nossa liga, de que eu seria adepto do Sporting. Pois bem, como sabem, não sou, nunca fui e nunca serei. Apesar de tudo, admito a minha tolerância pelo clube, pelas razões que já expus e que peço que compreendam. Porém, essa tolerância começa a parecer-me completamente fora do sítio, porque nos anos mais recentes sinto que o Sporting se tem descaracterizado como clube e com essa descaracterização perde o respeito dos seus apoiantes e até daqueles, como eu, que não sendo adeptos do clube, pelo menos respeitam a sua história e tradição.

A algazarra que os dirigentes, treinador e jogadores do Sporting fizeram, logo após a final da Taça da Liga - embora perceba a sua momentânea quebra de ânimo – fizeram-me concluir que vezes demais o clube deixou de falar por si próprio. Existe ali uma voz interior, proveniente de outro hemisfério desportivo, que parece exercer um fascínio mal explicado sobre os actuais dirigentes do Sporting e que os impele a alguns discursos mal colocados e completamente forjados a uma ridícula mania da perseguição.

Mas que essa mania se desenvolvesse contra um clube que em Portugal tem o total domínio das instituições e do futebol, eu aceitava, como reflexo de luta e de resistência a essa hegemonia. Mas o espantoso de tudo isto é que a mania de perseguição do Sporting vira-se constantemente contra o Benfica, clube que nos últimos anos se classifica frequentemente atrás do clube de Alvalade. Como se compreende isto? Eu, pelo menos, não compreendo, que o Sporting esteja mais preocupado com o Benfica do que em recuperar todo o terreno que, nos últimos vinte e cinco anos, perdeu para o FC Porto.

Sabem o que isto parece? Todos os anos, no campeonato português, com o primeiro e o segundo lugares a darem acesso à Liga dos Campeões, existe a sorte a grande e a terminação para distribuir. E que o Sporting já se contenta com a terminação. E por isso ataca o Benfica e deixa o FC Porto com a sorte grande de ver os clubes de Lisboa sistematicamente de costas voltadas. Eu lamento imenso pelo meu padrinho e por outros grandes sportinguistas que conheço, mas eu nunca podia ser adepto de um clube destes. Eu não quero a terminação para o Benfica.

Um exemplo que não podia ser mais esclarecedor do que escrevo. Último fim de semana, após o jogo de Guimarães, um dirigente do Sporting exclama toda a sua desconfiança pela arbitragem de Bruno Paixão. Tudo certo, porque o Sporting foi prejudicado por algumas decisões inexplicáveis do árbitro. Mas quando pensei que a preocupação do dirigente do Sporting fosse que o clube pudesse ser lesado na corrida pelo título, que mantém com o FC Porto, a sua incompreensível preocupação era afinal o Benfica. Claro que fiz contas, depois destas declarações. Não é verdade que o Benfica está à mesma distância do Sporting, na luta pelo segundo lugar, que o Sporting está do FC Porto, na luta pelo primeiro? Então, porquê esta fixação pelo Benfica? E no dia a seguir, em Coimbra, todos vimos que Olegário mais uma vez teve o incrível azar de não assinalar uma evidentíssima grande-penalidade contra o FC Porto e fiquei à espera de ver, no dia seguinte, sei lá, um dirigente do Sporting, tipo Paulo Abreu, a declarar a sua incontida fúria, à semelhança do que tinha feito após o Benfica-Sp.Braga deste campeonato. Porém, nada disso. E mais convencido fiquei de que passa-se qualquer coisa com os dirigentes e alguns apoiantes do Sporting, quando ouvi na tarde de segunda-feira, num programa da Antena 1, que reúne adeptos dos três grandes do futebol português, o adepto do Sporting, Eduardo Barroso, mais interessado em desenvolver essa teoria de que o Benfica conspira na Liga contra o Sporting, do que em imaginar o que podia ter acontecido de diferente em Coimbra, se Olegário tivesse assinalado uma das mais escandalosas grandes-penalidades deste campeonato.

Por isso, permitam-me terminar esta crónica, dirigindo-me ao meu padrinho: «Sempre quiseste que eu fosse sportinguista, mas espero que aceites o que te vou dizer. Se precisasse de uma boa razão para continuar a ser do Benfica, padrinho, ela aqui está. Eu até posso perder, mas sou de um clube que fará tudo para voltar a ganhar. Eu até posso cair, mas sou de um clube que fará tudo para se levantar. Eu até posso estar mal, mas sou de um clube que fará tudo para estar bem. Eu até podia ser do Sporting, mas escolhi ser do Benfica. E não escolhi mal. Desculpa padrinho e obrigado pelos chocolates».

PS: Claro que o discurso do Sporting entende-se como forma de pressão sobre a Liga – por isso saiu da direcção e prepara com o FC Porto o regresso de Guilherme Aguiar – e sobre os árbitros. Mas também acontece porque o presidente e a direcção do Benfica não sabem colocar institucionalmente as coisas na perspectiva mais correcta. Aliás, impressiona-me que o actual presidente do Benfica esteja, como sempre, mais preocupado em atacar outros benfiquistas do que em eliminar os efeitos desta estratégia do Sporting e do FC Porto para escorraçar Hermínio Loureiro. Até porque Vieira sabe que o actual presidente da Liga é apenas um efeito colateral na guerra que está a ser movida a Ricardo Costa. E isso para um benfiquista como eu incomoda-me. Por muita diferença de opinião que possa existir, nas instituições desportivas, o adversário nunca está dentro, está sempre fora. Tenho pena que Luis Filipe Vieira ainda não tenha percebido isso, ao fim de oito anos.

88 comentários:

Americano disse...

É por isso que eu digo várias vezes que não sei quem respeito menos, se os corruptos, se os calimeros. Os corruptos lembram-se sempre o típico chico esperto português, figura que detesto, aquele típico sujeito que usa todos os esquemas sujos, todo o jogo baixo possível para conseguir os seus objectivos, e consegue. Ou seja, rouba, mas sabe fazê-lo, soube montar a teia de corrupção. Desprezível, mas inteligente.
O calimero, como o próprio nome indica, é a personificação do coitadinho, do desgraçado, daquele bobi a quem dão uma bolacha e fica a abanar o rabo (mesmo que se tenha seguido a uma sessão de porrada no lombo), ou do triste que é gozado por todos e que ainda baixa as calças para lhe irem ao pacote. Nega o clube grande que foi, desde que fique à frente do benfica está realizado, mesmo que descessem os dois de divisão.
No fundo uma realidade é inegável, o clube que 99% dos adeptos de futebol em Portugal mais pensam é o Benfica. Depois admiram-se que as primeiras páginas sejam sempre nossas...

A.Saraiva disse...

Caro José Marinho

Acrescento duas curiosidades em relação aos recentes episódios do zbordem que me parece não estarmos a entender.

Em tudo isto o que é curioso é o facto de dois jogadores do zbordem terem visto amarelo e, com isso, ficarem de fora num jogo que aparentemente fácil para os rastejantes. Caso vissem o referido amarelo no próximo jogo estariam fora do jogo com a Académica em Coimbra.

Curioso, ainda, é o facto de todos os clubes que participam na meia final da Taça de Portugal jogarem no Domingo ou Segunda feira, excepto ... o Estrela da Amadora.

Já agora aproveito para lhe perguntar se consegue dar respostas às questões que lhe coloquei no comentário ao anterior post, acerca da filiação de José Veiga no Benfica e qual a sua opinião acerca da demissão de Tinoco de Faria dos orgãos sociais do SLB.

Pedro disse...

Há uma caricatura q corre frequentemente via email que retrata na perfeição o q é o sportinguista. É um desenho onde se vê um dragão a "enrabar" desalmadamente o pobre leão e este aponta para o simbolo do SLB. É hilariante.

Para mim há sportinguistas e lagartos. Infelizmente conheço apenas 3 sportinguistas e muitos lagartos. Um sportinguista é aquele q vibra com o seu clube e, para quem, as derrotas dos outros não anulam as derrotas próprias. Um sportinguista é aquele q gosta do sporting. Os lagartos são aqueles q vivem em função do Glorioso. O scp levou 12 do Bayern? Não interessa estamos à frente do SLB. É este o espírito lagarto. Podem estar em 17º q se o SLB estiver em 18º eles estão bem.

Veja-se o profundo silêncio q eles tiveram em relação ao Apito Dourado? Veja-se a ausência de qqr comentário às questões corruptas do fcp. Mas se um árbitro assinala um lançamento de linha lateral erradamente a favor do SLB os gajos passam-se e fazem o escabeche q sabemos.

São lagartos e basta.

David Suazo disse...

Conheço bastantes "lagartos" que preferem ver os jogos do SLB porque vibram mais com as nossas derrotas do que com as próprias vitórias...

Caro José Marinho,

Não me diga que o Jorge Costa é do SLB... :)

Um abraço,

José Marinho disse...

Caro A.Saraiva, peço desculpa de ainda não ter conseguido satisfazer a sua curiosidade, mas pensei honestamente que já o tinha feito. De resto, posso dizer-lhe que José Veiga é sócio do Benfica, nunca deixou de pagar as quotas mas não sei desde quando é que ele é sócio. Não acho, mesmo assim, que este assunto seja muito relevante, porque não estamos a falar de um candidato à presidência do Benfica. Quando muito estaremos a falar de uma pessoa que muitos benfiquistas gostariam que fosse candidato. Mas não é e acho que tão cedo não será. Sobre a demissão de Tinoco de Faria, a leitura que faço é a de que tem havido demissões a mais neste mandato de Luis Filipe Vieira o que não pode ser bom sinal. Sinal de uma cultura solidária de governo do clube. Mas isso, acho que não estou a dar-lhe novidade nenhuma. Meu caro, diga-me, por favor, se ficou esclarecido e mais uma vez as minhas desculpas pela demora em responder-lhe. Um abraço

José Marinho disse...

Onde escrevi, sinal de cultura solidária de governo, o que pretendia significar é que o Benfica actualmente dá um sinal de que não existe uma cultura solidária de governo.

Chama Imensa disse...

A mim parece-me óbvio que não é de Jorge Costa que se trata. 1º porque é treinador há muito pouco tempo e para além de ter treinado o braga a época passada não faz parte da nossa liga nos últimos anos como treinador, como diz a crítica.
Assim de repente só se for o Jaime Pacheco. Cajuda e Paulo Bento são benfiquistas mas esses nunca jogaram no Fcp.

De resto, post muito bom de José Marinho. A história dos chocolates do padrinho serve para dar a picada na parte dos chocolatinhos.

Contudo esta é daquelas crónicas (deixe-me chamar-lhe assim) que não me dá gozo nenhum ler porque deixa-me com aquele sentimento de impotência que todos os benfiquistas sentem: o de nada poderem fazer para combater a podridão deste futebol. Desde o penalty deste ano do Dragão que jurei não mais ir ao futebol e tenho conseguido apesar de ser bastante difícil resistir sobretudo quando o Benfica vem a campos no Centro ou no Norte. Tenho aguentado e espero conseguir para o bem da minha sanidade mental e mesmo para a minha carteira.

Actualmente o futebol portugues é como o Casino. Entramos com fé e com esperança de ganhar mas no fim sabemos sempre que ganha sempre o mesmo. E a casa no nosso futebol são os azuis, fruto das roletas, blackjacks, slot-machines que foram implementando nesta sociedade altamente corruptível.

Sempre que puder marcarei presença nos jogos de Basket e Futsal que realizarmos no Norte nos playoff que se seguem, principalmente. Mas alimentar este futebol para além da assinatura da Sporttv, deixou de ser para mim. E fico feliz de ter ganho juízo aos 21 anos...imagino os mais antigos que nos últimos 25 anos pagaram para ver o golo anulado ao Amaral nas Antas depois do Baía ter jogado com as mãos fora da área, o penalty do Silva e Jardel na Luz, as cotoveladas e biqueiradas ao Kandaurov, João Pinto e Poborsky...etc etc etc.

José Marinho continuo à espera do esclarecimento sobre a relação do Benfica com o Vitória.

Cumprimentos a todos

T disse...

José Marinho, com que então a escrever sobre o Jaime Pacheco :)

De resto, grande texto como nos começa a habituar. Uma história bonita com o seu padrinho, com belas palavras que lhe dirige e com as quais concordo perfeitamente. Os adeptos leoninos chegam a ser patéticos com a sua teoria da perseguição "vermelha"!

John Billy disse...

Muito bom José Marinho, concordo inteiramente consigo.
Até prefiro que os corruptos sejam campeão.
Aos lagartos desejo-lhes o 2º e um Bayern na pré eliminatória. Se não for um Bayern, pode ser um Milão, um Sevilha ou um Arsenal.

Helder disse...

Caro José Marinho

Como não podia deixar de ser estou 100% de acordo com a sua crónica. Essas atitudes do Sporting são próprias de quém inveja o Benfica! Se o apito dourado fosse com o SLB era o fim do mundo, como é com os andrades não se passa nada....tudo é considerado normal para os lados de Alvalade! Isso irrita-me de tal maneira que cada dia que passa odeio mais os lagartos. Tenho pra mim que se José Veiga estivesse no Benfica esses lagartos eram postos no seu sítio devido!
Claro que gostava de saber quém é o tal ex-jogador dos corruptos que é Benfiquista.........
José Marinho espero ansiosamente que me envie por mail o que lhe pedi.

Já sabe....... Aquele Grande Abraço!

Saulo disse...

Mais uma crónica em grande nível, caro José Marinho.

Mas fiquei algo curioso. Estaria a referir-se a Jorge Costa ou Domingos Paciência???

Quetzal Guzman disse...

Ainda não li até ao fim o post. Só para perguntar se o treinador que falas é o Jaime Pacheco, o tal que quase festejou um golo do Benfica enquanto estava sentado no banco de suplentes da equipa que representava. ;)

PEROLA DA MOURISCA disse...

Boas
Se me permitem eu também gostaria de dar o meu palpite e vai para Domingos Paciência...

Sobre as opiniões aqui colocadas eu sobre Tinoco digo que é normal, mas isto porque é normal haverem "baixas" em todas as direcções, uns por incompatibilidade e outras por problemas pessoais/profissionais, Tinoco ate agora ainda não sei o que terá acontecido, aguardo que me esclareçam sobre o sucedido.

Sobre o tema quente (José Veiga), apenas digo o que lhe disse a ele, pode e deve concorrer a estas futuras eleições, é de longe a melhor opção, e não há que ter medo de enfrentar Vieira, no debate o Veiga ate lhe podia dar "de avanço", no Benfiquismo e no querer para o Benfica idem, por isso para nossa salvação só vejo um nome...ups, lembrei-me agora que já passamos o dia 17...

Cumprimentos.

Ricardo disse...

Deste já gostei mais, José. Muito mais. Excelente crónica.

Alguns pontos:

- Eu também sou daqueles que está longe de odiar o Sporting. Para mim, o clube de Alvalade merece-me todo o respeito e cresci a admirar também a sua grandeza. Muito por culpa do meu avô, sportinguista dos sete costados, pessoa de uma lucidez apesar da paixão que me ensinou muita coisa sobre a forma de ver futebol.
No entanto, a obsessão da generalidade dos sportinguistas pelo Benfica é doentia. Tudo o que diz é verdade para quase todos os adeptos leoninos. Há adeptos que preferem ver os jogos do Benfica para nos criticarem do que ver jogos do próprio clube - este é um princípio absurdo e aberrante e diz bastante da cultura derrotista, inferior e invejosa que se apoderou do clube e adeptos nas últimas décadas.

- Não fazia ideia nenhuma que o Pacheco fosse benfiquista. É uma revelação monstruosa! Mas discordo de si: não o acho treinador para o Benfica.

- Concordo na íntegra com o PS.

Quetzal Guzman disse...

Agora que li tudo, comento com uma posta que já estava meio alinhavada e que foi publicada há pouco. Penso que o Pedro não se importa se inserir o link, já que o Calcio Rosso está lentamente a regressar à vida.

"Ser lagarto é ser triste"
Vem com as aspas porque a autoria é do fundador deste espaço. E use-se o termo duplamente referido como verbo ou substantivo, a frase fará sempre sentido.
A gritaria desta última semana atingiu contornos ridículos. E não foi pela simples contestação à arbitragem. É que mesmo sendo useiros e vezeiros na estratégia, de calimeros todos os clubes têm um pouco. Não lhes concedamos por isso o monopólio, mesmo que o berreiro sobre este jogo seja exagerado.
Como todos sabemos, este clube criado à custa do Benfica, ou a esta hora ainda estariam a jogar bridge e a fazer pic-nics, vive em nossa função. Até faz sentido. Ou melhor, faria, porque no fundo aquilo é um clube de futebol com uma fatia considerável de adeptos e deveria importar-se com títulos. É por isso estranho, ou talvez não, que estando tão perto da liderança como do terceiro lugar, a primeira reacção dos adeptos à nomeação de Bruno Paixão logo lhes tenha enchido a boca com o nome do Sport Lisboa e Benfica, mesmo depois de escutas que nos revelaram um dos interessados na promoção de carreira do "mostra-pilas". E a festarola continuou durante e após o apito final em Guimarães, a tal ponto de um louco, como é apanágio dos loucos, ter referido que outros é que andam loucos. Aqui já com selo institucional, para que não se possa dizer que isto é mera conversa de café entre adeptos. O absurdo é que tudo isto revela uma absoluta coerência. Basta recuar uns anos e recordar um célebre Sporting - Nacional, cuja razão do alegado prejuízo desconheço em virtude de estar preocupado com coisas mais interessantes. Certo é, que impossibilitados de apanhar o Benfica na classificação, a culpa, mais uma vez, tenha sido imputada ao Benfica. Pouco importa quem beneficiou então e pouco importa quem beneficiaria agora. "Ser lagarto é ser triste".

www.calciorosso.blogspot.com



Não há volta a dar. A preocupação lagarta com o Benfica é tão grande que lhes passa ao lado o facto de terem sido ultrapassados em títulos e (se ainda não aconteceu está perto de acontecer) adeptos. Mas é assim que são felizes. Conheço até quem tenha vivido a sua maior alegria futebolística no dia em que o Benfica foi às Antas levar quatro secos para a Taça. Não foi no festejo num título, não foi num golo de Acosta ou Jardel.

A.Saraiva disse...

Caro José Marinho

Não me deve qualquer pedido de desculpas. Percebo que no meio de tantas solicitações, e apesar de toda a disponibilidade por si demonstrada para esclarecer os diferentes comentadores, não será de todo fácil responder a todas.

Em relação à questão de Tinoco de Faria a importância que lhe dou tem que ver com o facto de se tratar de um grande benfiquista e, talvez, aquele que melhor nos representou o Benfica no primeiro mandato de Manuel Vilarinho. Para mim era um motivo de descanso saber que pessoas como ele se mantinham com LFV. Ao contrário do que diz Pérola Mourisca, não considero que, numa altura em que falamos em união e estamos apenas 5 meses de eleições, haja demissões nos orgãos sociais do clube.

Sinceramente esta saída, por um lado, deixam-me preocupado por outro poderá ser um sinal de que há movimentos no sentido de aparecer uma alternativa credivel em Outubro.

Em relação ao zbordem sou daqueles que não tenho qualquer simpatia por eles, bem pelo contrário.

Fui eu que comi a Madonna disse...

“…quase sempre os nossos debates são sobre o Benfica e sobre o seu sonho de treinar o nosso clube e do meu desejo em vê-lo treinar a nossa equipa”

De repente, assim do nada, esta frase retirada de um contexto que merece todo o meu aplauso (grande crónica), deixa-me preocupado. Se é de Jaime Pacheco que estamos a falar, como tudo indica, não posso estar mais em desacordo consigo. Jaime Pacheco é um técnico descredibilizado, sem qualquer hipótese de ter sucesso à frente de um “grande”. Há em Portugal dois ou três treinadores que não me escandalizaria ver à frente do meu clube. Jaime Pacheco não, meramente porque não tem categoria nem personalidade para exercer o cargo.

PB disse...

O Pacheco nem p o Belem serve... Percebe mt mt mt pouco do q é o jogo actualmente. De treino entao, percebe pouco mais q 0...

cada x mais, é preciso competÊncia

abidos disse...

Jaime Pacheco!!!

GR1904 disse...

José Marinho, o que escreveu sobre as declarações do Abade dirigente do sportém após o jogo de Guimarães, foi exactamente aquilo que eu pensei quando li essas declarações num jornal. Um dia depois, toda a gente viu aquele penalty não assinalado em Coimbra e o silêncio dos lagartos foi demonstrativo da podridão deste futebol mesquinho português e do compadrio existente entre lagartos e tripeiros. Tal e qual, José Marinho. Não acrescentava nem tirava uma única vírgula.

E este ano tem sido pródigo em casos destes. O mais flagrante foi o golo do David Luiz contra o Braga. Os lagartos fizeram um escandalo tamanho e nem sequer tinham jogado contra nós! E ainda por cima, esqueceram-se que eles próprios foram beneficiados em Braga, contra esse mesmo clube. Mas depois, esqueceram-se completamente do jogo falsamente ganho pelo fêcêpê na jornada seguinte em Braga. Caladinhos. Tal como agora em relação ao jogo de Coimbra. Estão feitos e ficam mesmo com a terminação. É um, de facto, um clube diferente. Não sei como seria a minha vida se fosse adepto dessa espécie de clube, mas não seria certamente uma vivência honesta.

Eu conheço pessoas adeptos do sportém que, há uns anos, em Alvalade, preferiram ver o fêcêpê ganhar ao seu clube para que o Benfica não ficasse mais perto do 1º lugar caso os tripeiros perdessem. Isto diz tudo da génese de um adepto desta estirpe. Tudo.

Marcio disse...

Desconfio do Jaime Pacheco!

Pedro disse...

Ao ler o texto pensei que fosse outro treinador de farta cabeleira branca mas não me lembro se foi jogador do fcp.

Gosto da alma do Pacheco. Se é benfiquista ainda melhor. Não me importava de o ver como elemento de uma equipa técnica do Glorioso. Nunca como treinador principal.

PS: Pepe perde a cabeça

Ricardo disse...

Li ontem no BnrB um texto do boloposte em que ele defendia, meio irónico meio sério, a contratação de João Vieira Pinto para treinador do Benfica. É curioso que não tinha pensado na ideia e quando a li achei-a de alguma forma interessante. Não concordo com a opção de o fazer treinador principal mas, tendo em conta o que lhe tenho ouvido sobre o jogo, em que tem demonstrado conhecimentos acima da média (o que, de alguma forma, terá sido uma surpresa para quase toda a gente), agrardar-me-ia uma solução que passasse por integrar João Pinto na estrutura técnica do Benfica. Por exemplo, Quique com Diamantino e João Pinto como adjuntos e Chalana como treinador de campo nos treinos.

O Benfica tem de recuperar jogadores, técnicos e dirigentes que saibam o que é o clube, que o conheçam, que o admirem, que o saibam explicar a quem chega.

Dexter disse...

O que acho mais engraçado neste momento nos adeptos da lagartagem é que de repente, de um momento para o outro, ficaram preocupadissimos com a arbitragem em portugal. Desde o fim de semana que os oiço aos meus ouvidos a dizerem "Eh pa viram aquele roubo em Coimbra ???, que escandalo !!!"
A lagartagem acordou agora para a realidade arbitragem !!!!
Muito triste. Agora, é o que lhes digo, deus queria que sejam roubados ate ao final da epoca e que os corruptos sejam campeoes. Para a proxima talvez pensem duas vezes antes de andarem de mao dada com o porco flautulento.
Tristes.

Ricardo,

"exemplo, Quique com Diamantino e João Pinto como adjuntos e Chalana como treinador de campo nos treinos."

LOOOL
ISto é a piada do seculo nao ?
Entao o Diamantino nem no autocarro viaja com a equipa e agora ia ser adjunto do Quique ???

Bem, sonhar nao paga imposto...

Pedro disse...

Concordo em absoluto q elementos como Diamantino têm q ser melhor aproveitados dentro da estrutura do SLB. Aí sim acho que o Director Desportivo tem q ser intransigente com o técnico escolhido dizendo q é obrigatório a presença de um elemento que conheça o clube e o campeonato. Diamantino podia e devia ter sido esse elemento. Se um super treinador como Trap aceitou Álvaro como adjunto quem é o Quique para não aceitar?

(Por outro lado, qd penso q perdemos Mourinho pq lhe impusemos Jesualdo Ferreira....)

João Pinto no Benfica...só de pensar nisso fico com comichões..e das más...

João Bizarro disse...

Quem será esse homem mistério de quem o José Marinho fala?

EM relação à lagartagem pouco há a dizer. São uns tristes. Vivem obcecados com o Benfica e mais nada.

Dexter, se os lagartos disseram isso foi com o pensamento de que o beneficiado com a arbitragem de Coimbra foi o Benfica.

Agora à atenção do Americano: http://www.majorleaguesoccertalk.com/the-ballad-of-freddy-adu/3196

Catenaccio disse...

Caro JM,

Como prometido, deixo-lhe aqui o meu comentário. A crónica está bem conseguida e maravilhosamente bem escrita. Por vezes, sarcástica. Contudo, sem deixar de tocar num ponto fundamental: a notória aliança entre FC Porto e Sporting.

Aliás, no artigo só faltou referir a nova convergência cervejeira graças ao novo contrato celebrado entre a Unicer e o Sporting. Assim, com início na próxima época, o Sporting vai ter o 'sponsorship' Super Bock no dorsal das camisolas e a Vitalis também vai apoiar as modalidades amadoras. Quem leu a entrevista de Pires de Lima, esta semana no Record, sabe ao que me refiro.

Sobre o conteúdo da crónica, percebo bem o sentimento. No meu caso, não era um Padrinho, mas o meu Avô que fez tudo para que fosse leão. Ou lagarto. Felizmente, resisti a esse chamamento do 'dark (green) force'.

A melhor forma de comentar é fazer copy paste de um texto que dediquei aos sportinguistas, após a derrocada de Munique. A actualidade não se perdeu, antes mantém-se bem evidente. Caso queiram ler mais tarde, podem visitar o link aqui e ultrapassar esta parte em itálico.

O meu Avô era um sportinguista fervoroso. Há não muito tempo dediquei-lhe umas linhas, quando escrevi sobre a inaguração do Estádio Nacional. Tenho o bilhete desse dia memorável, oferecido pelo meu Avô, o qual guardo com enorme carinho. Lembro-me, ainda miúdo, vê-lo sair de casa, depois do almoço domingueiro, para ir ver o seu Sporting, clube do qual foi sócio durante muitos anos. Um dia, estava num restaurante com os meus pais e avós, ali na zona de Alvalade, quando entra uma figura desconhecida aos meus olhos: José Travassos. O meu Avô conhecia-o bem, tendo trocado cumprimentos efusivos. Perguntei quem era e, logo ali, fui brindado com uma lição sobre a reputação de antigos jogadores leoninos. Infelizmente, para o meu Avô, a minha preferência clubística voltou-se para uma cor mais sanguínea, mas sempre vi o Sporting como o grande rival do meu clube.

É sobre o Sporting que quero falar. Sem hipocrisia. Sem ironia ou ponta de sarcasmo. Gostava que muitos sportinguistas lessem as minhas palavras como as de alguém que observa o 'fenómeno' de forma distante e objectiva. Recuemos uns anos. Até meados da década de noventa, a minha adolescência foi acompanhada pela rivalidade entre os dois 'grandes' de Lisboa. Nos anos sessenta, Eusébio desequilibrou os pratos da balança, mas o Sporting nunca deixou de conquistar troféus, mantendo-se na 'sombra' do vizinho de Benfica. Até que o FC Porto desatou a conquistar títulos, uns a seguir aos outros, como se estivesse a sprintar numa prova de 100 metros. Quando as borbulhas desapareceram, dando lugar aos bancos da Faculdade, a hegemonia do futebol português já ia percorrendo a A1, no sentido norte. Em grande velocidade: ao mesmo tempo que o Sporting esteve durante longos dezoito anos sem conquistar o campeonato nacional, o FC Porto foi coleccionando Ligas, Taças de Portugal, Supertaças. A um ritmo avassalador. A separação de poderes ganhou sotaque tripeiro, o Benfica ganhou um rival que apresentava desafios de outra estirpe e o Sporting viu-se relegado para terceiro lugar. Sim, leram bem. Contem só a totalidade dos títulos nacionais, para verificarem que há muito o FC Porto superou o Sporting. Nesse momento, a 'batalha' pela liderança do futebol português mudou de cores. Apesar de muitos sportinguistas continuarem a olhar para o rival encarnado, deviam pensar que a primeira tarefa cinge-se a apagar a 'chama do dragão'. De forma muito frontal: o vosso rival não mora na Luz; antes está sentado ao lado do vosso presidente.

Nos meus tempos de juventude, passados em imensas tertúlias com amigos dos mais variados quadrantes futebolísticos, surgiu um novo conceito nacional: o denominado 'projecto' de José Roquette. Os adeptos leoninos passaram a falar menos das incidências do relvado e introduziram, nos debates, a figura dos relatórios & contas. Orgulhosamente ‘diferentes’, a estabilidade financeira e a aposta na formação passaram a ser bandeiras de um novo discurso. O campeonato ganho por Augusto Inácio matou a 'fome' de títulos e, mais tarde, a dobradinha de Lazlo Boloni foi o culminar de um 'projecto' orientado para a sustentabilidade. Todavia, a tónica nos predicados financeiros fez desviar as atenções do objectivo principal – sucesso desportivo. O rigor e transparência das contas foi ganhando relevo, ao mesmo tempo que a impaciência dos adeptos foi subindo de tom: a tão chamada 'crise de militância'. Presentemente, dos três 'grandes', o Sporting é claramente o clube mais preparado para o futuro de curto e médio/longo prazo, quer em termos económico-financeiros, quer na vertente dedicada à formação. No entanto, qual o preço a pagar? Relembro que a conquista do último campeonato vem da longíqua época 2001/02...

Ontem, como sempre, estive atento ao programa "Trio D’Ataque". Confesso que me causa estranheza ouvir o Rui Oliveira e Costa afirmar a sua preferência por dois segundos lugares, ao invés de um primeiro e outro terceiro. Na razão das suas palavras, encontram-se, tão só, argumentos económicos motivados pela presença na milionária 'champions league'. O meu Avô nunca proferiria tal barbaridade. Não deixo de valorizar as preocupações financeiras, mas os adeptos apaixonados só pensam numa coisa: vitórias. Creio ser possível manter o interesse por essas matérias, respeitando os condicionalismos que se impõem à maioria dos clubes nacionais, embora nunca deixando de perseguir os êxitos desportivos. Se o Sporting respeita o seu passado, baseado numa história de esforço, dedicação, devoção e glória, não pode permitir que a alegria de um resultado líquido positivo se supere à emoção de um título. Após uma derrota que mancha o nome do clube na Europa e quando se vive um processo pré-eleitoral, seria boa ideia pensarem no rumo que pretendem. Amigos sportinguistas, digam o que desejam. Sinceramente. Uma liderança alicerçada num modelo de gestão vocacionado para as demonstrações financeiras? Ou, pelo contrário, uma estrutura que, sem deixar de ser pragmática e realista, defenda o símbolo do clube? Querem um candidato 'ajoelhado' às vicissitudes das garantias bancárias e dependente da vontade dos investidores? Ou anseiam por uma candidatura forte, que faça o Sporting regressar ao topo do futebol nacional? Eu sei bem o que o meu Avô desejaria. Sei, também, aquilo que muitos de vocês ambicionam: voltarem a sentarem-se, ao meu lado, na cadeira do poder, contemplando a eterna rivalidade pintada a verde e vermelho.
Só para concluir: quando era miúdo, o rival do Benfica era o Sporting. Quando o FC Porto desatou a conquistar títulos, uns a seguir aos outros, o rival do Benfica passou a ser o FC Porto. Porquê? Porque o FC Porto é o mais directo adversário no número de campeonatos ganhos. O Sporting caíu para a 3.ª posição do pódio. Assim, não concebo que para um sportinguista, o rival seja o Benfica. Não. O rival é o clube que lhe está imediatamente acima, ou seja, o FC Porto. Fatidicamente, os sportinguistas, ou lagartos, como lhe queiram chamar, não querem ver isso e em vez de olharem para o 2.º lugar, continuam a preocupar-se com quem tem (ainda) melhor palmarés. Neste momento, para mim, um benfiquista, são um pouco indiferentes. Uma espécie de Belenenses. Quem está à perna é o FC Porto e não olho mais para baixo do que o 2.º lugar no campeonato histórico da hegemonia do futebol potruguês.

Cumprimentos.

João Bizarro disse...

Já viram a agressão do Pepe no Real-Getafe?!?!?

Impressionante!!!

Americano disse...

Obrigado João, já li o artigo.
Diz quae tudo, e fiquei feliz porque mostra que não sou a única pessoa que acredita naquele puto. Espero sinceramente que caso o Benfica não conte com ele o liberte, ele ainda está perfeitamente a tempo de pôr todo o seu talento ao serviço do futebol.
Como eles dizem tem sido "wrong place at the wrong time..."

Dexter disse...

Ja vi Joao, muito bom, pensava que ainda estava no Porto que nem falta ia ser.

Passou-se.

Agora como premio vai ser convocado parao clube da federacao.

Ricardo disse...

Dexter,

"ISto é a piada do seculo nao ?
Entao o Diamantino nem no autocarro viaja com a equipa e agora ia ser adjunto do Quique ???

Bem, sonhar nao paga imposto..."

Não sei se é a piada do século mas acho que o Quique vai ter de entender ou por ele próprio ou por lhe explicarem que tem de ter junto dele gente do Benfica. E o Diamantino está lá. Logo, tem de ser um elemento útil e não um capacho.

Ricardo disse...

"João Pinto no Benfica...só de pensar nisso fico com comichões..e das más..."

Porquê, Pedro?

Ricardo disse...

Notícia quase oficial: Miccoli no Benfica.

João Bizarro disse...

"Notícia quase oficial: Miccoli no Benfica."

WHAT? Ricardo, é 22 de Abril, dia da Terra. Não é dia 1!

Americano disse...

Miccoli levanta-me as mesmas questões que Aimar, não sei se sou favorável ou não. Dependerá sempre do que custa.

João Bizarro disse...

Ricardo, o Pedro pertence a uma imensa minoria!

Ricardo disse...

Não é mentira, João, está quase confirmado.

Desde já digo que discordo dessa contratação. Não porque não goste de Miccoli - porque gosto imenso, é um jogador fantástico -, mas por aquilo que Miccoli poderá dar, e poderá dar pouco.

Diogo disse...

Não concordo, Ricardo. Miccoli tem feito jogos fantásticos num campeonato muitíssimo mais exigente que o nosso. E se o faz, é porque está bem fisicamente. Pelo menos assim espero :p

Pedro disse...

É uma discussão antiga Ricardo mas, resumindo, não esqueço o comportamento dele após sair do SLB. Se tinha razões de queixa era de Vale e Azevedo e não do Benfica e dos benfiquistas. E eu fui um dos poucos q na segunda feira seguinte à "noticia" fui para o Estádio da Luz refilar contra seu "despedimento".

Miccoli...confirmado? Uau. Como o americano diz, depende do preço. A qualidade está lá toda. Acho q poderá fazer uma dupla brutal com Cardozo.

Ricardo disse...

Pedro,

acho que qualquer jogador ficaria chateado com a forma como foi tratado no Benfica. E toda essa clarividência que pedes nem sempre é possível ter em certos momentos. Mas já li entrevistas do João, já o ouvi, já o vi em campo na Luz e em todos esses momentos o Benfica apareceu para ele como um clube que lhe deixou saudades e ao qual mostra todo o respeito. Acho que seria uma boa solução.

Quanto ao Miccoli: pode depender do preço mas eu preferia apostar noutro tipo de jogador. Com menos problemas físicos, mais novo e com possibilidade de um bom retorno financeiro após o investimento. Esta parte financeira tem de ser cada vez mais pensada.

João Bizarro disse...

Pode dar pouco porquê, Ricardo?

Ainda a semana passada vi o jogo com o Inter em que foi o melhor em campo. Teve jogadas de génio e há uma quase no fim que podia ter dado a vitória ao Palermo em que ele se desembaraça de 5 jogadores do Inter e remata a rasar o poste.

Ricardo disse...

Pois tem, Diogo, mas tenho sérias dúvidas que em Portugal não levasse logo uma bordoada para ficar meses no estaleiro. Digo assim: se vier barato, tudo bem. Agora, se é para dar 5 ou mais milhões por ele, acho que deveria ser de esquecer.

E alguém acha que o Miccoli, depois da época que fez, vem por menos de 5 milhões?

brmf disse...

Nunca vi uma palavra ingrata do JVP para com os benfiquistas. Não percebo as críticas. Agora, é normal que se fique chateado com uma entidade que maltrata uma pessoa. É humano. JVP é um grande benfiquista, não tenho quaisquer dúvidas.

Dexter disse...

Miccoli....depende das condicoes financeiras.

Perder a cabeça nao vale a pena.

Hugo disse...

Ricardo, se o Miccoli vier, vem a custo baixo (transferência), o problema será o ordenado pois é jogador para ganhar o mesmo que Suazo e Reyes por exemplo. Mas quem quer os bons paga.
Senão fica com o que tem e com o que não tem.
Acredito, tal como o Aimar, que esta equipa técnica o recupere fisicamente. Se há alguma coisa em que esta equipa técnica é melhor que as outras, é na preparação física dos jogadores.
Mas como é que tens tanta certeza, acerca do Miccoli?

david disse...

Já o disse e repito: o Benfica tem que se virar para o mercado português. Face à conjuntar económica vejo com bons olhos a aposta em nomes menos sonantes, mais baratos, que já conhecem o nosso campeonato. Pontualmente estou de acordo que se abram os cordões à bolsa para adquirir jogadores de valia, mas essas têm que ser compras muito ponderadas. Gostei de ouvir falar no suposto interesse em Nené e Ruben Micael. Mas provavelmente é apenas conversa de jornais e não vai dar em nada. Na minha opinião, a melhor compra que o Benfica fez nos últimos tempos foi o Ruben Amorim. Não é que seja um jogador do outro mundo, mas tem margem de progressão, é benfiquista e pode tornar-se um símbolo do clube adquirindo, com o passar dos anos, a chamada mística. É de jogadores assim que precisamos.

O Micolli é um jogador com potencial fantástico. No 4-4-2 de Quique, Micolli e Cardozo podem fazer uma boa dupla. Mas por todo o seu historial de problemas físicos e por já não ser um jogador com muita margem de progressão, a sua contratação só me parece uma medida aceitável se for barato.

O Benfica podia mandar o JVP fazer o curso de treinador, para adquirir algumas competências teóricas e familiarizar-se com o meio, prometendo-lhe um lugar na estrutura técnica do clube, por exemplo, nos juniores. Depois de uns tempos de teste, logo se via se ele tinha ou não qualidade para voos mais altos... Todo o sucesso desportivo que o Sporting tem tido nos últimos anos é fruto de um treinador que começou a conhecer a casa por dentro e que tem sabido fazer omeletes com poucos ovos, aproveitando os recursos vindos da formação. Não concordo com algumas decisões estranhas do Paulo Bento e com a forma como ele geriu alguns casos polémicos. Mas acho que o Sporting lhe deve muito e que o Benfica pode aprender muita coisa com a história do Paulo Bento.

As agressões do Pepe são animalescas. Uma vergonha para o Real, para Portugal e para o futebol em geral.

David De Oliveira disse...

Também li o que propos o Boloposte e realmente nunca tinha pensado no JVP. Nao sei como será como treinador o unico que sei é que é dos poucos jogadores que vi vestir a camisola do Benfica com mais respeito, sacrificio e dedicaçao. Mas pra já eu daria uma 2º oportunidade a Quique.
....
Tou fartinho de me rir com o que o Pepe fez. Tenho contado aqui aos Espanhois que o Pepe ainda pensava q tava em Portugal onde há total impunidade e onde o padrinho resolvia eses problemas com 2 joguitos de castigo como quando o Deco agrediu um arbitro em Leiria (Há umas escutas engraçadas sobre o caso).
...
Mais uma excelente cronica J. Marinho. Era engraçado sabermos quem é ese treinador, fiquei curioso...

Pedro disse...

Pois Ricardo a questão é q JVP foi sempre muito bem tratado no SLB e pelos benfiquistas.

Ricardo disse...

Hugo,

abordaste um ponto essencial: a questão Aimar. É a única forma pela qual dou benefício de dúvida a esta contratação. O que fizeram com Aimar poderão fazer com Miccoli.

Mas dizes que vem a custo zero, é isso? Está em final de contrato?

David,

A 100 por cento com o teu comentário. Desde a necessidade de comprar no mercado português (tanto Nené como Micael agradam-me bastante) à forma como tratas o assunto JVP. É por aí.

Pedro,

as pessoas nem sempre têm essa capacidade. Acho que estás a ser demasiado inflexível. Ou então passou-se alguma coisa que nós não sabemos e que tu não queres contar...

Pedro Vagos disse...

Voltando ao tópico do José MArinho... pensando nos comentadores Sport TV / ex-jogadores do FCP... a minha "aposta" é: Carlos Carvalhal.

:D

PS: Madrinha! És igualzinha ao Padrinho do José Marinho! LOL

David De Oliveira disse...

Já agora como ainda nunca fiz nenhuma pergunta ao José Marinho aqui vai. Já não sei onde é que li, penso q foi um comentário em algum blog que o Jesé Veiga poderia ser a única pessoa capaz de fazer frente ao sistema, mas que o faria destruindo o sistema actual para criar um outro ao seu serviço e do Benfica. Realmente esta é a idéia que tenho de Jose Veiga, ou tinha, porque o J. Marinho tem-nos contado umas coisas que até nos podem estar a fazer mudar de opinião. O que é certo é que só conheço J. Veiga como figura publica e pelo que conheço também tenho a tendência a pensar nesta teoria de “máfia” à qual de associa Veiga. Ter sido empresário de jogadores ajuda a pensar no caso e algumas contratações inexplicáveis acabando em péssimos negócios para o clube confirmam o pensamento. Por outro lado não me posso esquecer da importância de Veiga na contratação de Simão e muitos bons jogadores que chegaram na mesma época ao Benfica (quando chegou Vieira e a SAD) (ainda me lembro de muita gente que se riu de mim por comprar acçoes jejeje) que acho que foi um ponto de viragem importante para o Benfica. A questão é que muita gente vê o Jose Veiga como um mafioso com a escola de Pinto da Costa, isto é apenas uma etiqueta, uma mentira como o caso Calabote, tem alguma coisa de verdade, ou é apenas um bom conhecedor de toda esa podridão mas um Homem com princípios que quer acabar com ela? Acho que o Meu caro J. Marinho pode ter alguma resposta a isto.
A outra questão seria: dando o beneficio da duvida a J. Veiga e tendo-o como presidente o Benfica, será que financeiramente é capaz de fazer um bom trabalho, ou pelo menos igual ao de LFV. Ou teremos um esbajador que so pensa no presente e o futuro logo se verá. É que de presidentes que hipotecam o futuro do Benfica já tamos fartos. ¿Tem uma equipa para a área das finanças de garantias?
Muito obrigado desde já e estaria muito agradecido se me pudesse responder (sei que tem pouco tempo e se não poder ser eu entendo)
Um abraço a todos.

Ricardo disse...

Alguém sabe um link para ver o jogo do Gil com o Nadal?

T disse...

Ricardo: tenta aqui

http://www.adtvextra.com/

Penso que dá na sporttv

Ricardo disse...

Está a dar, T, Obrigadão!! :)

João Bizarro disse...

Ricardo, se estiveres a twittar vai fazendo o ponto da situação...

Americano disse...

Face às notícias sobre possíveis movimentações que têm ocorrido, deixo já ANTECIPADAMENTE a minha opinião para que não digam que as críticas são á posteriori:
- O Benfica deve renovar com Nuno Gomes
- O Benfica deve contratar apenas 4 jogadores (aproximadamente), sendo que daria prioridade a Ruben Micael e Néné

Sabendo que o Rui Alves é terrível, e defendendo como sempre defendi a estabilidade financeira, é importante vender 2 ou 3 jogadores, sendo que eu optaria por Di Maria, caso se consiga 15 milhões ou mais, Yebda, e Katsouranis se for de todo impossível mantê-lo. Devem regressar Coentrão, Adu, e pelo menos analisar Sepsi, Ruben Lima, e Romeu Ribeiro.
Ficam as dicas :)

Hugo disse...

Ricardo, por aquilo que se vai falando acerca do Miccoli, ele poderá sair como saiu o Assunção do porto, daí a ser verdade é outra, aí também não será a custo zero, mas é o valor dos ordenados até ao fim de contrato, mas acredito que tanto Benfica, Miccoli e Empresário estão atentos a esse assunto e todos são interessados... veremos.

GR1904 disse...

brmf, nunca viste uma palavra ingrata para os benfiquistas por parte do JVP? Então não viste a triste figura que ele fez quando foi apresentado aos sócios lagartos, ao som do "quem não salta é lampião". E isto é tanto mais relevante quanto o Paulo Bento, na mesma apresentação, não reagiu dessa triste forma.

Vale o que vale, mas é só para esclarecer. No entanto, nutro mais simpatia pelo JVP pela sua postura pós-carreira de jogador, do que em relação ao Paulo Bento, pela choradeira lamentável com que às vezes nos presenteia.

David De Oliveira disse...

Concordo plenamente com as propostas do Americano excepto o Yebda que acho que ainda pode melhorar muito mas se for um bom negocio... Tenho a acrescentar que tenho um amigo de Santander e vejo muitas vezes com ele os jogos do Racing e mesmo sem ser espectacular o Sepsi tem feito alguns bons jogos na liga española. Penso que devia ser tomado em conta, mas depois do que disse sobre como o trataram nao sei...

John Billy disse...

Miccoli: Há alguma dúvida?
Que venha e já!
Nuno Gomes: Obrigado e podes fazer parte da direcção. Como jogador já basta.
Contratações: Também acho bem vir o Néné e o Ruben.
Contratações nacionais/estrangeiras:
Acho que o risco é o mesmo. Tanto se falha nas contratações nacionais como nas estrangeiras. É como um melão.
Lembro-me do Miguelito ou do Marcel que eram grandes jogadores a nivel nacional e foram um profundo falhanço no Benfica.
É por isso que apoio a contratação do Miccoli. É um jogador totalmente identificado com o Benfica e o nosso campeonato.

João Bizarro disse...

"Então não viste a triste figura que ele fez quando foi apresentado aos sócios lagartos, ao som do "quem não salta é lampião"

Aííí... Onde isto já vai. Daqui a pouco foi em pleno Estádio da Luz, na conferência de imprensa que ele fez isso!!!

Mas vá lá, já só saltou ao som do "quem não salta é lampião". Há quem diga que ele cantou o "fdp SLB"... Mitos!!!

Somos pobres e mal agradecidos é o que é!

GR1904 disse...

João Bizarro, para mim não interessa "onde isto já vai". Não me interesse se foi há 1 ano ou há 10. Interessa-me que foi ingrato, pois nessa situação ofendeu os benfiquistas que, mesmo depois de ter sido mandado embora pelo V&A, o defenderam e apoiaram. Eu até fui dos que estava contra a sua saída. O Paulo Bento, já teve outra postura nesse mesmo dia. Foi só isto que eu disse, não compreendo o teu sarcasmo. Mas eu não me esqueço de algumas coisas.

Por outro lado, não me viste dizer que eu sou contra o JVP, portanto a tua última frase passou muito ao lado.

Pedro disse...

João, não puxes por mim....

Ele saltou e cantou, as duas musiquetas de eleição para aqueles lados,na apresentação em Alvalade e no Restelo no mesmo ano. Estas duas eu vi, ninguem me contou. Felizmente outros tb viram.

Ricardo disse...

Vocês também são cá uns puristas!

Imaginem que até nem eram benfiquistas de pequeninos, depois iam para o Benfica, gostavam do clube e tinham êxito nos primeiros dois anos. A partir daí, esse clube entra na depressão total e vocês, grandes jogadores, tinham de conviver diariamente com uma cambada de jogadores medíocres, viam a vossa carreira altamente afectada com isso mas ficavam no clube porque acreditavam nele e esperavam por melhores dias. Passavam 5 anos a jogar com jogadores maus e outros assim-assim, a tentarem levar a equipa às costas, ouviam que outros grandes clubes estavam interessados em vocês mas vocês, porque gostavam do clube, ficavam e ajudavam até ao fim.
De repente, um Presidente chega e escorraça-vos do clube. Vem o clube rival, contrata-vos. Chegam à festa de início de época, dão uns saltos com umas musiquinhas sobre o antigo clube porque estão com vontade de integrar o novo projecto e porque ainda se sentem mal com as pessoas do outro clube que vos expulsaram.

É isto um crime?

O João Pinto tem sido sempre de uma elegância, nos actos e nas palavras, com o Benfica.

Que fundamentalistas, pá!

João Bizarro disse...

Eu só o vi saltar, assim como outros jogadores lagartos no fim de um jogo no Restelo ao som do co(i)ro "quem não salta é lampião".
Mas podem-me convencer apresentando imagens como fizeram com o Jorge Ribeiro!
Até lá isso para mim não passa de um mito!!!

GR1904 disse...

João Bizarro, agora fiquei ainda mais perplexo com o teu comentário. Dizes que o viste saltar ao som desse cântico, mas que não o viste cantar. Se cantou ou não acho que acaba por ser irrelevante. O que conta realmente é que ele participou nele. Já o Paulo Bento, não. Ficou quieto, calado, na dele. Que era coisa que ele devia fazer mais vezes após os jogos do sportém, diga-se de passagem.

GR1904 disse...

Ricardo, consegues distinguir as pessoas (dirientes) do clube (instituição)? Foi isso que o Paulo Bento fez. O JVP não.

Mas estou de acordo qd dizes que o JVP tem sido elegante com o Benfica, na fase pós-jogador. Fiz questão de enumerar isso mesmo num comentário anterior, para não me acusarem de ser fundamentalista. Mas também é preciso não esquecer que a posição actual do JVP, se quiser ser alguém neste futebol mesquinho, não lhe permite ser deselegante com quem quer que seja. Isto é, a elegância dele não se traduz apenas em relação ao Benfica. Tem sido com todos os clubes que ele comenta nos programas em que é colaborador.

João Bizarro disse...

GR1904, há quem ele afirme que ele cantou "fdp, SLB" isso sim era mais grave. É disto que estou a falar.

Sobre o o facto de ter andado aos saltinhos estou-me a marimbar.

Pedro disse...

Eu afirmo isso.

Ricardo, ok, não pretendo alterar a tua ideia sobre JVP. Fiquemos assim. Espero apenas q o teu desejo nunca se concretize.

Ricardo disse...

GR1904,

Sim, eu li os teus comentários e percebi a tua ideia. Mas, sei lá, pronto, o homem andou aos saltinhos. Faz assim tanta confusão? Quer dizer, olhando para a realidade benfiquista actual, em que boa percentagem dos que pululam pela Direcção nem sequer são benfiquistas (alguns até estão altamente conotados com clubes rivais), fará assim tanta confusão uma questiúncula deste tipo? A mim passa-me ao lado, sinceramente. E sei que o JVP gosta do Benfica. É isso que me interessa. Actos isolados e entendidos pelo contexto em que estavam inseridos não fazem mossa. Nós não somos máquinas.

Diogo disse...

O JVP foi o símbolo do Benfica durante muitos anos. Safou-nos muitas vezes. Como diz o meu pai: " Houve anos em que, se não fosse o Preudhomme e o João Pinto, desciamos de divisão ". Não é por um momento que devemos crucifica-lo, depois da bela historia que teve ao serviço do nosso clube.

Quanto ao Miccoli acho uma boa aposta, até porque o homem ama mais o Benfica que 85% dos jogadores do plantel actual.

Quanto ao Ruben Micael e Nené, digo apenas que o Ruben devia vir, sem duvida. Passou do Uniao da Madeira para o Nacional e brilhou, tudo indica que tem personalidade e consiga o mesmo feito no Benfica. O Nené discordo totalmente. Quantos jogadores são excelentes em equipas medianas e chegam aos "grandes" e evaporam-se ? Muitos. Ainda para mais o Nene não é português e nao deve reconhecer nem metade da historia e mistica do Benfica. Para alem disso nao deixou muitas saudades no Brasil. Acho muito duvidosa a sua qualidade.

DB

david disse...

Em relação ao João Pinto, não acho que possamos afirmar que ele sentiu sempre o apoio dos adeptos. O Benfica dessa altura era caótico, toda a gente procurava encontrar a culpa dos sucessivos desaires e lembro-me que o valor que os benfiquistas atribuíam ao João começou a diminuir. Para muitos ele começou a ser visto como parte do problema e não como parte da solução. A sua imagem ficou desgastada e muitos acusaram-no de falta de empenho. Numa altura em que ele era dos poucos que se empenhava, dos poucos que dignificava a camisola e dos poucos que sabia o que era o Benfica. Não me esqueço do que aconteceu após a derrota em Vigo. O melhor jogador que vi com a camisola do Benfica, o meu ídolo, a pedir desculpa em nome de uma cambada de coxos, em nome de uma direcção que diariamente assassinava o Benfica, em nome de um treinador ridículo. O João era o menos culpado da história recente que tinha levado o Benfica àquele dia negro e, no entanto, foi ele que deu a cara. E o que é que o Benfica lhe deu em troca? Escorraçou-o.

É verdade que muitos benfiquistas não concordaram com a saída dele e muito menos com a maneira como foi conduzida. Eu fui um dos que ficaram chocados. Mas também me lembro de muitos que na altura diziam que a saída se aceitava porque o João Pinto já não jogava nada e já tinha dado tudo o que tinha a dar. A toda essa gente é que o João devia ter dedicado o título ao serviço do Sporting, num ano em que voltou a fazer uma época brutal.

Não me choca nada que ele tenha saído do Benfica com raiva não só para com os dirigentes, mas também os adeptos. E essa raiva pode tê-lo levado a ter uma ou outra atitude irreflectida e às quais não atribuo nenhuma importância. Provavelmente porque eu, no lugar dele, também teria sentido essa raiva e não sei como teria lidado com ela. O tempo apaga as mágoas e é provável que hoje em dia sinta um enorme carinho pelo Benfica (não sei se podemos dizer que ele é benfiquista, ele sempre se disse boavisteiro) e que sinta saudades dos momentos de glória vestido de encarnado e branco, porque, a par com alguns momentos nas selecções, foram os melhores da sua carreira. Eu também tenho saudades de o ver com a nossa camisola!

Peyroteo disse...

Curiosamente, sempre achei que o José Marinho era benfiquista. Parecia-me evidente até.
O treinador de que fala, se é para dar palpites, arriscaria o António Sousa (acho que ainda não falaram nele e foi comentador da Sport tv).
Quanto ao que falou do Sporting, também me parece que a direcção do meu clube atira ao alvo errado. O adversário é o Porto e não o Benfica.

Americano disse...

Amigos, como já aqui foi falado (penso que com o Hugo), vou publicar lá no nosso cantinho um post sobre as contas do Benfica. Apareçam e falem mal :)

brmf disse...

"depois de ter sido mandado embora pelo V&A, o (os adeptos) defenderam e apoiaram"

Lembro-me bem desse dia e estavam lá meia-dúzia de pessoas. A maioria dos adeptos apoiou durante largo tempo o Vale e Azevedo. Se VA tem ganho por milagre um campeonato nunca mais de lá saía.

Se calhar queriam que o JVP fosse apresentado no Sporting a dizer que estava lá contra-feito? Melhor, se calhar queriam que ele dissesse que naquele momento queria era estar no Benfica. Tenham juízo. JVP é um senhor. Há duas coisas que me envergonharam no clube (se calhar também é "pecado" dizer que há coisas que me envergonharam no clube?!): 1) a presidência de Vale e Azevedo; 2) a saída do JVP. Para mim, o Benfica pode perder que nunca terei vergonha disso - somos o Benfica!, mas não podemos ser mentirosos ou ingratos. Nesse momento VA foi mentiroso (tantas vezes o foi com a complacência dos adeptos) e ingrato (também com a complacência dos adeptos). Infelizmente a verdade é esta.

Algarviu disse...

Ele há muitas verdades.

Não sei por que carga de água é que o João Pinto é para aqui chamado, mas sempre vou dar a minha opinião.

O João Pinto foi dos melhores jogadores que passaram pelo Glorioso nos últimos 20 anos. Incontestável. Mas... A certa altura foi feito com João Pinto um contrato de longuíssima duração (nem sei se não terá sido com VA na presidência) e nos dois últimos anos o seu rendimento caiu redondamente sendo desproporcionada
a relação custo/rendimento. João Pinto arrastava-se, passava muito tempo lesionado e houve até um período em que, com ele fora, se conseguiu uma série de vitórias.

Ressurgiu nos lagartos mas os últimos tempos de JP no Benfica não foram de deixar saudades.

Mas a gente esquece facilmente aquilo que não quer lembrar.

André Leal disse...

Tens razão, Algarviu, mas na altura o Benfica era tudo menos um clube de futebol e é normal que um jogador se deixe ir abaixo e se acomode quando não tem ninguém a defender os seus interesses e quando se tem que jogar com Marcos Freitas, Calados, Scotts Mintos, etc.

É-me muito difícil acusar um jogador de não estar a dar o máximo que consegue porque é ele o principal prejudicado com a situação.

Resumindo: Se o JVP não estava motivado não era por vontade ou culpa dele.

PEROLA DA MOURISCA disse...

Bom, muito se vai aqui falando sobre Micolli, José Marinho melhor que eu deve saber da historia recente do jogador italiano, sabe que esteve em Portugal há pouco tempo como é noticia dos jornais e que ninguém ligado ao Benfica sequer lhe atendeu o telefone para lhe resolver o diferendo que tem com as finanças portuguesas, muito menos o Benfica lhe fez uma proposta como foi falado durante o final da passada temporada e principio desta como tantas vezes foi noticiado pela nossa comunicação social, era tudo areia para os olhos, mas disso já estamos acostumados...se vira ou não, não sei, o que sei é que segundo ouço, Vieira nunca morreu de amores por ele, e como é ele que manda não sei ate que ponto a noticia aqui avançada será verdadeira...

Cumprimentos

LC disse...

"nteressa-me que foi ingrato, pois nessa situação ofendeu os benfiquistas..."

GR, também os Benfiquistas o ofenderam na 1ª visita à luz com Mourinho ao leme e não foi assim tão pouco, só não o chamaram de pai.

LC disse...

Peyroteu, vai lá dizer isso pró sector que és rotulado de lampião.

LOL

LC disse...

O treinador que o JM fala é mesmo o Pacheco, mas não partilho da opinião dele que era bom para o Benfica, o Benfica tem "cavalagem" a mais para a carroçaria dele.

Dexter disse...

Luís Filipe Vieira demarcou-se de responsabilidades nos maus resultados da equipa de futebol nesta época e admitiu aos Órgãos Sociais (OS) do Benfica, na segunda-feira, que haverá um buraco de 40 milhões de euros no passivo do clube se não forem vendidos jogadores.


Na reunião não esteve presente o director desportivo do clube e um dos administradores da SAD, Rui Costa.

"Sou apenas responsável pelas contratações de Urreta e Sidnei", lembrou Vieira, segundo contou ao CM um dos participantes na reunião. Na sua alocução, o líder directivo das águias frisou que o orçamento para 2008/09 foi o maior de sempre (30 milhões de euros) e que estavam criadas todas as condições para a equipa conseguir melhores resultados.

Pedro disse...

É uma das coisas q detesto em Vieira. É incapaz de ser solidário.

Qd é para ganhar méritos aparece com toda a pompa e circunstância a apresentar Rui Costa e Quique, a dizer q agora é q é, as pessoas certas no lugar certo etc e tal. Qd as coisas apertam sacode logo a água do capote e aponte de imediato o dedo a outros. É incapaz de defender o seu próprio projecto, as suas próprias escolhas.

Estou fartinho deste gajo.

Americano disse...

Buraco de 40 milhões? Não acredito em tal coisa :)

Dexter, passa lá no nosso tasco, sff

Diogo disse...

Se essa notícia do CM é verdadeira, está encontrado o bufo do clube.

Pedro, concordo em absoluto contigo, mas também dou um pouco de razão ao LFV. Como presidente do clube e visto que passou a pasta para Rui Costa, é natural que peça explicações pelas coisas não terem corrido bem, visto que foi o maior orçamento de sempre. Passa-se isso em todas as empresas.

Outro grande problema da direcção é contar antecipadamente com receitas virtuais. Provavelmente fizeram o orçamento a contar que a equipa se apurasse para a LC e depois aparecem estes "buracos".

T disse...

Esqueceu-se de dizer também que é responsável pela contratação do Jorge Ribeiro...

GR1904 disse...

LC, não achas isso normal? O JVP foi insultado nesse jogo depois da atitude que teve na apresentação no sportém. Foi a resposta e não a primeira pedra lançada. Mas também é verdade que foi aplaudido na nova Luz quando ali jogou pelo Boavista contra o Benfica. E agora?

LC disse...

GR, eu pessoalmente nunca terei nada contra o João Pinto, foi e será sempre um jogador a quem vejo o espírito à Benfica.

Sabes tão bem quanto eu o que ele passou e se pulou enquanto os gays cantavam foi impulsivo e não pelo que cantavam.

Vi demais do João Pinto para ter algo a apontar-lhe excepto ser bom demais para os 200 jogadores que passaram no Benfica nos seus 5 últimos anos excluindo Poborsky e Preud'homme