blog

terça-feira, junho 06, 2006

Caso Mateus

Depos do Plano Mateus, temos agora o Caso Mateus. A situação é "simples", o Gil Vicente terá feito alinhar na sua equipa um jogador ilegalmente inscrito. Evidente que tal não pode acontecer e o clube tem que ser punido por tal infracção.
Mas o caricato (para não dizer mesmo vergonhoso) é que a provável descida do Gil Vicente de divisão não se deverá a esta ilegalidade mas sim ao facto de ter violado o artigo 63 do Regulamente Disciplinar da Liga o qual determina que quem recorrer aos tribunais comuns sem autorização da Liga de Clubes e da Federação Portuguesa de Futebol será punido com «pena de baixa de divisão».

É este mundinho privado que o futebol se rege que mete nojo. Tudo se resolve no seio da família e ai de quem pedir satisfações fora. É por estas que por vezes caiem acordos como o Bosman que "rebentam" com a realidade peculiar em que vive o mundo do Futebol.

Existem tribunais que julgam as leis que regem as sociedades. O mundo do futebol quer estar sempre à margem dessas leis, quer ter leis próprias mesmo que essas leis violem as leis da sociedade.

Pode-se comprar árbitros para ganhar jogos, comprar equipas para alterar datas de jogo, impedir jogadores de jogar, jogar com jogadores ilegalmente inscritos, etc...mas desces de divisão se recorreres aos Tribunais Civis....

16 comentários:

Nuno disse...

E pronto, lá vão os morcões para o ano somar mais 6 garantidos pontinhos.
Pena é a justiça que temos só atingir os pequenos, porque o apito dourado ainda vai levar mais uns anitos antes de ser arquivado.Tristeza.

João Bizarro disse...

pro ano lá temos eles a entrar em campo com a bandeira dos tripeiros. como manda o figurino!!!

Pedro disse...

E se contarmos com os 6 pts garantidos pela Equipa B do Fcp q joga no municipal de Leiria já partem com vantagem de 12 pts...adiante.

Adepto Fanático disse...

A questão é que o Gil Vicente não jogou com o jogador "mal inscrito".
O desenrolar dos acontecimentos foi o seguinte:

- Gil Vicente tenta inscrever Mateus, e é recusada a inscrição.
- O JOGADOR recorre para os tribunais civis pois a constituição europeia impede que seja negado o direito ao trabalho de um trabalhador.
- Os tribunais civis dão razão AO JOGADOR, e o clube inscreve o jogador.
- O jogador é utilizado pelo clube em 4 ou 5 jogos.
- A liga pede ao clube para não utilizar mais o jogador, o que é cumprido pelo clube.
- O Gil Vicente garante a manutenção, e o Belenenses que NUNCA tinha dito nada sobre o caso, decide protestar.
- O CD Liga resolve castigar O CLUBE por um JOGADOR ter recorrido aos tribunais civis.

Bem vindos a Portugal :)

Pedro disse...

Ainda pior fica a situação depois dessa "cronologia".
É uma vergonha...

Nuno disse...

Tomando como factos o que foi descrito é mais uma prova que o "azul" voltou à moda em contraste com a vergonha, que voltou a desaparecer.

Adepto Fanático disse...

Para mim o mais incrível é o facto de ser proibido recorrer de situações para tribunais civis. Eu sei que a FIFA próibe que isso aconteça, mas a FIFA não deve saber que não existem tribunais desportivos em Portugal... Não havendo este tipo de tribunais, que hipóeteses têm os atletas/clubes?

Pedro disse...

É isso mesmo q me incomoda...a impossibilidade de se recorrer aos tribunais "normais"!!

luis disse...

Pedro, esclarece-me se souberes: um jogador que agrida outro, em campo, pode ser processado pelo agredido, nos tribunais comuns?

Tenho a impressão que já houve casos desses mas, na verdade, não tenho a certeza se avançaram mesmo.

Abraço.

João Bizarro disse...

Mas é isso que eles querem.
Quais tribunais civis!??!

Não viram o Major a mandar bocas à PJ?

Dizia ele na inauguração de um campo sintetico em Gondomar: Tenham cuidado que a PJ pode andar por ai?

Eles brincam com isto!!!!

Anónimo disse...

Está instuído o 5º poder, o poder supremo dos SENHORES do futebol.

Anónimo disse...

"Instituído"

Pedro disse...

Luis: Boa pergunta. Penso q pode pois é um caso "pessoal" não envolve as instâncias do futebol. Mas não tenho a certeza.

João: O Major Batata disse isso? É o sentimento de impunidade a reinar...

jbs disse...

Se um procurador se atreve a afirmar que não há corrupção se o valor pago for baixo e se o bem (jogo) a receber em troca for pouco importante, qual o problema dos jogadores recorrerem aos tribunais civis? Já se viu que juízes e procuradores são tão ou mais corruptos que a liga!

antitripa disse...

A pergunta que se impõe: E quem aceitou a inscrição do jogador?

A pergunta que vai levar a grande bronca: "Poderá a Liga de Clubes proibir um jogador que tem visto de residência e permanência por trabalho profissional de desporto para poder estar em Portugal?" Eheheheheh....
Gosto destas broncas na organização azulada da teia!É bom que o mundo acorde! Para entender que a Amália morreu, o Eusébio Reformou-se e o Benfica continua a ser prejudicado.

João Bizarro disse...

Infelizmente aqueles meses de apito dourado foram sol de pouca dura.
Voltou tudo ao mesmo.