blog

quarta-feira, setembro 06, 2006

Justiça Desportiva

O Caso Mateus lançou para a praça publica a discussão sobre a divisão entre Justiça Civil e Justiça Desportiva. Já todos perceberam que há assuntos nos quais a FIFA, orgão máximo do futebol mundial, não tolera a participação dos clubes em Tribunais Civis, assuntos esses de âmbito meramente desportivo. Tem sentido esta regra pois, no extremo, veriamos os clubes a porem acções nos tribunais pelos erros dos árbitros. Seria uma grande confusão.

Neste Caso Mateus os cabecilhas do nosso futebol reclamam isso mesmo, que o Gil Vicente não tem que recorrer aos Tribunais Civis e que tem que ser julgado pela Justiça Desportiva e acatar essa decisão.

Acontece que esses cabecilhas não são coerentes na aplicação dessa regra. O Processo Apito Dourado é a melhor prova disso. Estamos perante um caso de corrupção desportiva, uma corrupção que nós benfiquistas sentimos na pele em TODOS os jogos do nosso clube, uma corrupção que o próprio Ministério Público reconheceu existir mas de dificil prova. Para haver condenação nos tribunais civis é necessário que a prova seja forte, os indicios, por muito fortes que sejam, não são suficientes. E ainda bem que assim é. Assim todos nos sentimos protegidos pela Lei e para sermos condenados as provas têm que ser irrefutáveis (era bom que fosse sempre assim...). Mas nos tribunais desportivos isso não é necessário. Os indicios são mais que suficientes para julgar e condenar os corruptos.

Foi assim que aconteceu em Itália.As entidades desportivas julgaram e condenaram e se as autoridades civis quiserem julgar e condenar também que o façam, o "desporto" já fez a sua parte.

Quando existem escutas claras e inequivocas de convites de presidentes de clubes a árbitros para jantares e festas, quando os arbitros pedem dinheiro e outras "prendas" como compensação para os favores, quando os dirigentes claramente mostram o seu desgrado ou contentamento pela "actuação" do árbitro e respetivo castigo ou pagamento, estamos à espera de quê para condenar esta escumalha???

Os tribunais civis arquivaram o processo contra o corrupto mor mas a Justiça Desportiva pode e deve funcionar à mesma. As provas estão à vista de todos (ok...alguns ainda não viram e nunca irão ver), não há a menor dúvida sobre a culpabilidade dos mesmos de sempre, dos mesmos que há mais de 25 anos poluem o nosso futebol.

Acho bem que o Benfica se torne assistente de todo o Processo Apito Dourado, já o devia ter feito. Mas mais que isso o Benfica deve pressionar a Justiça Desportiva para que esta actue, para que esta faça cumprir os regulamentos e punir os responsáveis pela provada CORRUPÇÃO em jogos de futebol. É este que tem de ser o papel do Benfica. Estamos sozinhos nesta luta mas sempre defendi que não precisamos de ninguem. Sozinhos somos capazes de derrotar a Santa Aliança e limpar a porcaria que existe no nosso futebol.

4 comentários:

T-Rex disse...

Só com os tugas fora da UEFA é que esta m*rda poderia mudar, mas o dinheiro que se iria perder é um grande obstáculo...

Enfim, ser benfiquista é isso mesmo.

Capacidade de sofrimento e lutar contra tudo e contra todos.

E PLURIBUS UNUM !

Um abraço.

Vedeta ou Marreta ?

Pedro disse...

Tenho a sensação q este caso mateus vai dar em nada no q diz respeito à limpeza do futebol.Irão todos lavar as mãos e rapidamente esquecer o q se passou...

Tal como o Apito Dourado...

Mas disseste bem, somos benfiquistas, a nossa capacidade para sofrer é enorme e maior ainda a nossa vontade de lutar contra esta podridão toda. E pluribus unum.

PS: Parabens pelo Blog Vedeta ou Marreta.5 estrelas!!!

Nuno disse...

Boa Pedro, dá-lhes com força!Não nos podemos calar.

antitripa disse...

O Glorioso que apresente a queixa mas que exija julgamento de factos abaixo da linha do tentáculo.....e aí é que me quero rir!