blog

quinta-feira, maio 11, 2006

1904

Mais um excelente texto do Diário de um Ultra que o Mágico SLB tem o prazer de publicar.

"28 de Fevereiro de 1904, Farmácia Franco. Os Catataus e os amigos, o desporto estranho que vinha de Inglaterra e o jogo contra o Real Casa Pia. Nasce o Grupo Sport Lisboa e, como no momento mágico da concepção, cria-se uma vida, mas uma vida diferente.
A Terra continuava a girar à volta do Sol, mas já nada seria igual.A união com o Sport Club e Benfica, dois anos depois, dá o nome definitivo ao maior clube do Mundo. Sport Lisboa e Benfica. Gente humilde, sonhadora e combativa.
E Pluribus Unum.

28 de Fevereiro de 2006, Estádio da Luz. É terça feira de Carnaval, mas tenho os livros debaixo do braço. O Estádio está vazio e caminho sossegadamente até ao “Ponto Vermelho”.
“Um café, se faz favor.” – E começo a estudar.
Neurologia e coisa e tal. Circuitos, neurotransmissores e neurónios.
A concentração aguenta pouco tempo. As aulas começaram há pouco tempo e não há assim tanta pressão para isto. Entretenho-me com as fotos nas paredes. O Rui Lopes, jogador de hóquei (lembro-me melhor dele na selecção campeã do mundo em 93 do que no Benfica. Pecado.) e o Jean Jacques, daquela equipa mítica de basket (Lisboa, Seixas, Pedro Miguel, José Carlos Guimarães, Steven Rocha, Plowden, Mário Palma…) e a capa d`”A Bola” de 15 de Maio de 1994.
A minha vida está naquelas paredes. É mais ou menos como ver fotos da minha família.
Depois, aqui e ali, vejo fotos que não conheço. Mas sinto-as, estranho.
É como se fossem parentes que nunca conheci, mas usassem o meu apelido. Mas é mais do que isso. É uma família maior.
Aquelas paredes têm vida. Têm a minha toda (que cresci com este clube no coração), mas também têm a do casal que agora entrou e vai buscar o filho ao treino. Gente humilde e combativa.
E a dos dois amigos que ainda estão a comentar o golo do Robert no domingo e acreditam que vamos ganhar a Anfield. Gente sonhadora.Estou em casa, no meio dos meus. É como se estivesse num serão de família, como se estudasse na mesa onde pais, primos, avós, tios e irmãos comeram. Há fotos de parentes por todo o lado e o nosso apelido é comum.
E distraído a olhar para o ar, começo a sonhar. Imagino aqueles “GOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLOOOO!”s da Luz (a antiga…a antiga Luz), aqueles assobios quando a equipa adversária tocava na bola. Não ouço nada à minha volta. Estremeço com as recordações e ouço o relato de um dos golos da meia dúzia em alvalade a passar em directo no meu cérebro. Depois uma conversa com um velhote, numa estação de comboio, a dizer que ele é que lhe tinha custado a seca dos 10 anos, porque ele tinha visto “O BENFICA.” (e a entoação da voz dele vinha com maiúsculas, garanto-vos).
Os pais do miúdo saem do café e despedem-se de mim. “Adeus e bom estudo.” – Dizem simpaticamente. Têm o meu apelido.
Começo a escrevinhar no caderno coisas sem pensar. “3-6, Karel Poborsky, Rui Costa, Carlos Lisboa, Diabos, Preud`Homme, 22 de Maio.” “Sou um miúdo.” – Concluo. “Mas sou um miúdo feliz porque sou desta família.”Arrumo os livros e saio. Quero pagar o café e o senhor não deixa. “Fica de borla. Parabéns.” Sorrio. “Parabéns.”Cá fora há miúdos a treinar nos campos com os pais a verem enquanto lêem jornais desportivos. Os putos festejam os golos como se estivessem a jogar um derby na Luz. Quando forem grandes querem ser jogadores do Benfica. Nem todos eles o percebem (chegaram à família há pouco tempo, é preciso compreender) mas eles já fazem são parte integrante do Benfica.
As fotos das paredes já sorriem para eles e, quiçá, um dia um deles também ali estará. E talvez outro um dia esteja também no café a olhar para as fotos. E outro na Luz. E outro em casa a sofrer na rádio. E um grupo deles na nossa curva, a cantar pelo Benfica.Olho para a imponência do Estádio, para a felicidade familiar que ali reina e arrepio-me com a ideia de que tudo começou numa farmácia.
Gente humilde, combativa e sonhadora.
E Gloriosa.
Parabéns Sport Lisboa e Benfica, clube do meu coração. "

5 comentários:

Talk Talk disse...

Que saudades dessa equipa mitica de basquete de que fala ao texto...
Embora sportinguista adorava vê-los jogar e... pronto confesso, até torcia por eles...

sandra disse...

É! Ser do Benfica é mesmo isso... Não se explica, sente-se. É mais que uma paixão, maior que um amor, é um estado de alma! (como alguém escreveu, e só nós benfiquistas, temos o previlégio de o sentir...)
Agradeço ao meu pai ter-me incutido esta paixão imensa!

Galaad disse...

Dos melhores posts que já li... Dá-me vontade de ir lá amanhã tomar um cafézinho também!!! AMO-TE BENFICA!!!

Nuno disse...

Exelente texto.Tenho prazer e orgulho em ser do Benfica-o melhor clube do mundo!

Alma Benfiquista disse...

Excelente post, Pedro!

De facto, ser do Sport Lisboa e Benfica é isso mesmo. É pertencer a uma família enorme, que vibra, grita, sofre, chora pelo seu (nosso) Benfica!
E é também pertencer à família (como disseste, é ter o mesmo apelido) de ilustre gente como Cosme Damião, Ribeiro dos Reis, Francisco Caiado, Espírito Santo, Rogério, José Águas, Mário Coluna, Germano, Costa Pereira, Cavém, José Augusto, Simões, Torres, Eusébio, Jaime Graça, Santana, Toni, Humberto Coelho, Bastos Lopes, Néné, Chalana, Carlos Manuel, Diamantino, Bento, Rui Costa, João Pinto, Carlos Lisboa, Pedro Miguel, Jean Jacques, Mike Plowden, Livramento, Rui Lopes, Luis Ferreira, Paulo Almeida, Vitor Fortunato, João Queimado e muitos, muitos outros.

É um orgulho pertencer a esta família e com eles (com todos nós!) viver momentos inolvidáveis e que para sempre perduram na nossa memória.

Viva o Sport Lisboa e Benfica!
A voz de um povo!
O orgulho de uma nação!

Um abraço a todos