blog

segunda-feira, maio 22, 2006

Fernando Santos? Um rotundo não! *

Estava eu em casa, em tronco nu e de cerveja na mão, a soltar urros aterradores envolto numa nuvem de testosterona, como um macho orgulhoso que vê o festival da canção com paixão, quando, logo após a actuação do Ricky Martin da Arménia (descrição do lendário Eládio Clímaco) resolvi fazer um inocente, rápido e bem intencionado zapping.

Ao passar pela SIC, vejo o nosso Luís Filipe Orelhas, sorridente como só ele, o que despertou de imediato a minha atenção.

"Boa" - pensei para mim - "para o nosso presidente estar tão feliz, é porque deve estar a anunciar o Eriksson"!

Os efeitos da cerveja, misturados com o efeito alucinogénico da voz do Eládio Clímaco, temperada com as músicas (?) do festival da canção, toldavam-me um pouco a visão, tornando dificil a identificação dos vultos que se sentavam ao seu lado.

Esfreguei bem os olhos e lobriguei, de facto, alguém sentado à esquerda do presidente do Benfica (à direita de Deus, como é sabido, só se senta São Veiga).

"Eh pá, o Eriksson está diferente" - espantei-me - "tem mais cabelo e agora pintou-o de preto...não o favorece nada, o novo look... espera lá, aquilo não é o Eriksson, aquilo é ... Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarghhh! Mas porquê, meu Deus? Mas porquê?!"

Chorei durante horas, como uma menina pequena a quem tivessem contado que o próximo treinador do Benfica é o Fernando Santos!

3 valiums e 6 whiskeys depois, dei por mim a pensar. Aproveitando o fenómeno, coloquei a mim próprio a questão que todos os benfiquistas se têm colocado nos últimos dias: qual é a chave vencedora do Euromilhões, da próxima semana? Incapaz de arranjar uma resposta satisfatória a esta pergunta, resolvi colocar outra, não menos complexa: porque é que eu não gosto do Fernando Santos e acho que ele seria uma óptima opção para ir treinar todos os clubes, excepto o Benfica?

E, após muito meditar, descobri a resposta num post it, estrategicamente colado na lata de cerveja. Aparentemente, já não era a primeira vez que colocava a questão a mim próprio e conhecendo os efeitos devastadores que a mistura valium/whiskey tem na memória de curto prazo, tinha decidido astuciosamente preservar a resposta para a eternidade. E no post it estava escrito: não gosto do Fernando Santos, porque ele é religioso! Exactamente, leram bem: religioso!

E passo a explicar porquê.

Eu vejo o futebol como uma ciência exacta! Uma equipa é como um relógio preciso e atómico, e um bom treinador é um cientista, alguém que conhece as leis universais que regem o fenómeno futebolístico e, com base nesse conhecimento, é capaz de manipular e transformar a realidade, com determinados objectivos concretos.

No caso particular do Benfica, esses objectivos passam, evidentemente, pela conquista sistemática de todos os troféus existentes, ano após ano, década após década.

Ou seja, eu não me oporia a que a equipa técnica do Benfica passasse a ser designada por FSI ("Football Scene Investigation", ou, em português, "Futebol Sob Investigação") e que os seus membros - investigadores doutorados- vestissem batas brancas, andassem com lápis e canetas no bolso da frente e fossem capazes de saber sem margem para dúvidas, que um pêlo encontrado junto à baliza pertence a um Koala com síndroma de Asperger, com uma simples olhadela rápida ao microscópio e que isso pode ter sido a causa do sub-rendimento do Beto no último jogo! Aliás, para mim os treinos deviam ter lugar num laboratório asséptico, com provetas e jarros cheios de líquidos fumegantes, paredes inteiras cheias de luzinhas a acender e a apagar e jogadores com eléctrodos na cabeça, ligados a engenhos de efeitos inimagináveis. E em vez daquelas conferências de imprensa semanais estupidificantes que têm lugar em todos os clubes, eu quero ver papers periódicos, publicados numa qualquer revista científica credível! É o choque tecnológico ao serviço do futebol!

Ora, o Fernando Santos vai à missa todos os dias e isso denota uma concepção de futebol fundamentalmente diferente da minha. Para ele, o futebol é um fenómeno religioso, que Deus controla lá de cima tal como faz com tudo o resto... e isso não é de cientista!

À primeira derrota, não o estou a ver a refazer os cálculos de treino em busca de erros de vírgula flutuante, a meter o suor do Petit num centrifugador, para detectar eventuais insuficiencias proteicas, nem muito menos a elaborar uma nova teoria unificadora que deite por terra o conceito de tempo absoluto, revolucione toda a física e explique porque é que a bola foi ao poste e simultaneamente entrou!

Não, a seguir a uma derrota, esse "crente" vai mas é pegar no terço, benzer-se 20 vezes e rezar à nossa senhora de Fátima. Ou, ainda pior, mandar chamar um padreco para abençoar o relvado. Ou até, sabe-se lá, convocar um padre excomungado para fazer uma missa negra, seguida de exorcismo no balneário, para ganhar os favores do demo.

Fernando Santos é a religião e o misticismo... as trevas que submergiram a Europa durante tantos séculos! É um Torquemada do futebol... e nós precisamos é de Galileus, científicos e infalíveis!

Ao olhar para um treino do Benfica, quero ver portáteis, luvas de borracha e sprays que brilham no escuro, não quero altares, alhos, ou cruzes em chamas!

* post publicado em simultâneo no blog http://peranabarba.blogspot.com

10 comentários:

Pedro disse...

Estou siderado perante tão complexa explicação do "rotundo não".

"lobriguei" ???
:)

João Bizarro disse...

Sendo assim...

Jean-Paul Lares disse...

Não percebes nada disto... :)

Não há no Benfica tantas almas que entregam o coração e o destino ao Senhor antes dos jogos? Ele é Luisão de mãos ao Alto, Alcides de cabeça baixa, Moretto a abençoar as redes, Geovanni em súplica, Anderson em oração...

O Benfica não contratou um treinador, mas sim um pastor! (no sentido bíblico do termo, entenda-se)

zorg disse...

Exacto! Mas eu quero é um cientista!

Anónimo disse...

De onde é que tiraste as tuas concepções de religião, religiosidade e ciência? Do Código Da vinci?

zorg disse...

De religião, foi tudo tirado do código da vinci quase à letra e de "Os evangelhos: versão cantada e resumida, para estúpidos", cuja audição aliás recomendo vivamente.

Sobre ciência é tudo tirado de "As lições do Tonecas", obra de referência no contexto da divulgação científica nacional.

Anónimo disse...

"Ora, o Fernando Santos vai à missa todos os dias e isso denota uma concepção de futebol fundamentalmente diferente da minha. Para ele, o futebol é um fenómeno religioso..." Zorg

1) Realmente, nem sei porque carga de água ele treina diariamente as suas equipas!!! Ir à missa não será suficiente? Ainda dizem que ser treinador é fácil...

2) Ora o Zorg vê o CSI todos os dias e, enquanto espera, lê a obra de Dan Brown, logo não percebe nada de futebol. Parece-me lógico...

João Bizarro disse...

Será o Fernando Santos o descendente directo de Jesus e Maria Madalena?
Ou será que é o anónimo?

João Bizarro disse...

Uma coisa é certa, prefiro este a rezar do que o outro com a por o Roberto Leal a cantar a caminho do estádio.

boloposte disse...

Clap! Clap! Clap!